Foto: Valquir Aureliano/Tribuna
Edinho está liberado. Só falta Barbieri escalar o time.

Quando deixou o treinamento machucado, às vésperas do clássico com o Coritiba, Edinho não conseguiu conter as lágrimas. Jogador que sempre reafirma sua identificação com o Paraná Clube, ele chorou por saber que não disputaria o duelo. Depois de perder aquele e outros dois jogos, o ala deve retornar à equipe na primeira partida das quartas-de-final, diante do Iraty.

Edinho reconhece ter ficado abatido com a contusão, no exato momento em que havia confirmado a condição de titular, posto ocupado por Rodrigo Alvim no início do estadual. Ele tentou voltar na semana passada, mas sentiu novamente a lesão muscular na coxa. "No começo, pensei que perderia todo o campeonato. Depois melhorei e tentei voltar, mas fui ansioso demais", reconhece.

No treino tático de ontem, o jogador esbanjava contentamento por não ter sentido a lesão. "Foram duas semanas difíceis. Mas me movimentei bem e agora é só ver como me sinto no coletivo", falou, referindo-se ao treinamento de amanhã, no Pinheirão, que deve definir a escalação para o primeiro duelo diante do Iraty.

No treino de ontem o técnico Barbieri não formou um time titular, mas tudo indica que ele manterá a escalação dos últimos jogos. Se Edinho não puder jogar, Rodrigo Alvim, que não enfrentou o Toledo, domingo, por suspensão, será o titular.

Muçamba prepara antídoto para segurar Leandro

Poucos já o viram jogar na Vila Capanema, pois o Iraty estava em outro grupo e as partidas normalmente eram simultâneas. Mas o retrospecto, por si só, impressiona – 18 gols em 13 partidas disputadas e a artilharia disparada do Campeonato Paranaense. O atacante Leandro, revelação da competição, é encarado pelo Paraná Clube como ameaça à seqüência da equipe no estadual nas quartas-de-final.

Embora alguns sustentem o discurso de que o adversário é perigoso por inteiro, os números apontam Leandro como peça-chave do esquema do técnico Val de Mello. O jogador iratiense é responsável por nada menos do que 56% dos gols de sua equipe no estadual. Na primeira fase, seis dos 16 times não conseguiram balançar as redes mais vezes do que ele. Se mantiver a média e o Iraty chegar às semifinais, vai se tornar o principal artilheiro do Paranaense nos últimos 15 anos.

No discurso paranista, o respeito com o goleador de índices impressionantes é freqüente. "Temos que tomar cuidado. Ele vem fazendo gol de tudo quanto é jeito", alertou o meia Marcelinho. "Nosso estilo é de jogar para cima. Mas o Iraty tem o artilheiro e é bom tomar precauções", acrescentou o volante Rafael Muçamba.

Se o Iraty tem o goleador, o Paraná conta com diversos artilheiros (13 jogadores já marcaram gols no estadual) e a invencibilidade no retrospecto diante do adversário. Em 13 confrontos entre os dois times pelo estadual, o Paraná venceu oito vezes e houve cinco empates. Os rivais das quartas-de-final nunca se enfrentaram em jogos eliminatórios.