O Real Madrid fez o que se esperava dele nesta terça-feira: deu show para cima do Cruz Azul, goleou por 4 a 0 e garantiu vaga na decisão do Mundial de Clubes. Em Marrakesh, no Marrocos, os espanhóis encontraram um adversário bem postado, que teve bons momentos ao longo dos 90 minutos e até perdeu um pênalti, mas a imensa diferença técnica garantiu a tranquila goleada sem maiores dificuldades.

Foi o 21.º triunfo consecutivo do time da Carlo Ancelotti, que ficou mais perto de quebrar o recorde de 24 do Coritiba, estabelecido em 2011. Agora, o Real espera para conhecer seu adversário na decisão, que sairá do confronto entre San Lorenzo e Auckland City, nesta quarta-feira. A final será disputada no sábado, às 17h30 (de Brasília), novamente em Marrakesh.

Já o Cruz Azul sai com o alento de ter feito um jogo parelho com o poderoso adversário em alguns momentos, como no fim do primeiro tempo, quando perdeu pênalti com Torrado, e no início do segundo, quando acertou bola na trave com Barrera. No sábado, os mexicanos enfrentam o perdedor de San Lorenzo x Auckland às 14h30 (de Brasília) na disputa pelo terceiro lugar.

O JOGO – Como era esperado, o Real começou dono da partida e perdeu grande chance logo aos dois minutos, quando Carvajal cruzou da direita, Benzema tocou de cabeça pelo meio e Cristiano Ronaldo finalizou da linha da pequena área. Corona voou para fazer um milagre. Aos 10, Benzema recebeu na intermediária, avançou e bateu colocado rente à trave direita.

A pressão se transformou em vantagem pouco depois. Aos 14 minutos, Kroos bateu falta da direita. Corona, desta vez, foi vilão e saiu mal, atabalhoado. Sergio Ramos aproveitou para tocar de cabeça para o gol vazio.

Só aí o Cruz Azul acordou, foi para cima e chegou até a exercer certa pressão, mas o contra-ataque espanhol seria fatal. Depois de Kroos perder boa chance, Benzema marcou. Aos 35, Carvajal fez bela jogada pela direita e cruzou para o francês, que foi mais rápido que o zagueiro e tocou de pé direito sob Corona.

O segundo gol não assustou o Cruz Azul, que seguia indo para o ataque e só esbarrava no próprio nervosismo. Aos 38, teve sua melhor chance. Pavone recebeu na área, tentou o giro e caiu. O árbitro viu uma mão de Sergio Ramos no ombro do argentino e marcou pênalti. Mas Torrado não bateu bem, Casillas caiu bem no canto direito e espalmou. Aos 41, o Real saiu jogando mal e entregou no pé de Pavone, mas ele se atrapalhou de frente para Casillas e facilitou para o goleiro.

Antes mesmo que o Cruz Azul pudesse ameaçar seguir com a pressão na segunda etapa, o Real marcou o terceiro. Em rápido contra-ataque, Benzema acionou Cristiano Ronaldo, que foi ao fundo e cruzou. Bale tocou firme de cabeça e ampliou a vantagem aos cinco minutos.

O gol deixou o jogo morno, o Real tirou o pé, mas houve até espaço para que Cristiano Ronaldo tentasse fazer mágica ao finalizar de letra um cruzamento da esquerda, mas a bola foi em cima de Corona. O Cruz Azul só assustou aos 20, quando Barrera, que havia acabado de entrar, arriscou de longe e acertou a trave.

Em ritmo de treino, o Real passou a dar show. Toques de letra, dribles desconcertantes e tabelinhas rápidas faziam a festa da torcida. Até que aos 27 minutos esse espetáculo se transformou em gol. Cristiano Ronaldo pedalou pela esquerda e rolou no meio da área para Isco. O meia deu lindo drible em pequeno espaço e bateu firme para fazer o quarto. Aos 38, Khedira ainda acertou a trave no último bom momento do confronto.