Foram apenas 16 segundos de vantagem na especial entre San Salvador de Jujuy, Argentina, e Calama, Chile, para Marc Coma assumir a liderança do Rally Dakar. O espanhol conseguiu imprimir um ritmo forte nos 207 quilômetros cronometrados e agora lidera a categoria motos com dois segundos de vantagem sobre Cyril Despres. Com uma largada ruim, José Helio caiu para oitavo no ranking geral.

Após um deslocamento de 554 quilômetros para atravessar a fronteira com o Chile e cruzar a Cordilheira dos Andes, Coma não se mostrou abalado. O espanhol considerava que o trecho de hoje era o verdadeiro começo da prova, então fez uma pilotagem forte, aparecendo sempre à frente do francês nos pontos de controle.

O contador final de sua KTM registrou 2h04min, com Després aparecendo logo em seguida, com 2h04min16s. No placar geral, os pilotos mantêm 20 minutos para Francisco Contardo, terceiro nesta quarta-feira e no acumulado.

Brasileiros

José Hélio não aproveitou a chance de largar em sexto e perdeu muitas posições no começo da prova. O piloto acabou em 14.º, após 2h15min23s, consideráveis 11min 23s atrás de Coma. No somatório, o brasileiro caiu do quinto para o oitavo lugar, com 12h10min28s.

Jean Azevedo vem mantendo a regularidade e a liderança entre as motos Super Produção acima de 450 cilindradas. Sua KTM 690 garantiu o 16.º lugar com 2h18min 05s. No acumulado geral, o piloto que retornou às motos em 2011 está no 17.º lugar.

Hoje, o rali continua no Chile e já começa a entrar no Deserto do Atacama. Após um curto deslocamento de 36 quilômetros, as equipes chegam a Iquique para a especial de 423 quilômetros.

Motos

Para conquistar a terceira vitória na quarta etapa do Rally Dakar, Carlos Sainz/ Lucas Cruz tiveram que acelerar forte e reverter a vantagem de Stéphane Peterhansel/ Jean-Paul Cottret.

Os franceses perderam rendimento no final dos 207 quilômetros da especial e chegaram a Calama, no Chile, em terceiro lugar. O vice ficou com Nasser Al-Attiyah/ Timo Gottschalk.

O Deserto do Atacama é o destino de hoje. Serão apenas 36 quilômetros de deslocamento até Iquique, no Chile. Todas as categorias encaram o desafio com 423 quilômetros de trechos cronometrados.

Prova registrou mais dois acidentes

Após acidente na terceira etapa do Rally Dakar, o piloto de caminhão checo Martin Kolomy e seu copiloto, Jaroslav Lamac, ficaram feridos com gravidade nesta terça-feira, informou a organização.

De acordo com o comunicado, Lamac sofreu traumatismo na coluna vertebral com “certos sintomas neurológicos”. Kolomy também apresentou contusão nesta região, mas, à primeira vista, sem complicações neurológicas.

Os dois foram transferidos de helicóptero para o hospital da cidade argentina de Salta, onde estão internados no departamento neurológico. O acidente ocorreu no quilômetro 52 da etapa, entre as cidades argentinas de Tucumán e Jujuy.

Outro argentino

Durante a realização da terceira etapa do rali mais perigoso do mundo, mais um argentino foi vítima de um acidente grave na competição. Nesta terça-feira, o piloto Rodolfo Bollero caiu de sua moto no trecho entre Tucumán e Jujuy. Além de um forte golpe na coluna, o motociclista fraturou a mão direita e não deve continuar nesta edição do Rally Dakar.

Melhor representante argentino entre as motos no último Dakar, Bollero caiu antes de completar o primeiro quilômetro do percurso, aproximadamente com 700 metros de corrida. Depois de receber os primeiros socorros no local, o piloto continuou consciente e foi levado de helicóptero para o hospital Padilla, na cidade de Tafí Del Valle.

Faltam 8 etapas pra fechar

Iniciado no último dia 1.º, o Rali Dakar terá ainda e até o seu término mais oito etapas. H,oje, os pilotos que já mostra sinais visíveis de esgotamento físico, cumprem a 5.ª etapa, entre Atacama e Iquique com deslocamento de 36 kms e uma especial de 423 kms.