Kimi Raikkonen é o nome do momento na Fórmula 1. Vice-líder da temporada, atrás de Sebastian Vettel, o finlandês está na mira da Red Bull para substituir Mark Webber, que se aposentará ao fim do campeonato. A Ferrari seria outra equipe interessada nele, para a vaga de Felipe Massa, que não vem agradando. E ainda tem a própria Lotus, que deseja manter o piloto para o Mundial de 2014.

Em meio a tantas possibilidades, e apesar de seu empresário ter descartado a ida à Red Bull, Raikkonen preferiu não se comprometer e garantiu que ainda não definiu seu futuro. “Há sempre opções até que se assine alguma coisa. Eu não tenho nada a dizer até que tenha certeza”, comentou. “Eu não tenho ouvido nada há algum tempo. Obviamente esta não é a situação ideal, mas é assim que é”, completou.

Entre os possíveis destinos para Raikkonen, apenas a Ferrari ainda não confirmou o interesse nele e promete apoio a Felipe Massa. Por outro lado, o chefe da Red Bull, Christian Horner disse que “as portas estão abertas” para o piloto, enquanto Sebastian Vettel admitiu o desejo de ter o finlandês como parceiro.

O vínculo de Raikkonen com a Lotus vai até o fim desta temporada e a equipe tenta a renovação. No entanto, o descumprimento de alguns prazos de pagamento estipulados no contrato estariam incomodando o piloto, que ao ser perguntado se estava sendo ressarcido respondeu: “Não como deveria”. “Espero que possamos resolver isso rapidamente”, completou.

Raikkonen demonstrou irritação com as inúmeras perguntas sobre seu futuro e chegou a responder algumas rispidamente. “Está havendo muita conversa. Dizem que vou para a McLaren, um dia para a Ferrari, na Lotus no dia seguinte”, reclamou.

Enquanto não resolve seu futuro, o finlandês segue na Lotus, e com o carro da equipe foi o sexto mais rápido nesta sexta-feira, no primeiro dia de treinos livres para o GP da Bélgica, que acontecerá no domingo.