O atacante Rafael Moura está insatisfeito no Fluminense. Titular e destaque da equipe no começo da temporada, quando Fred, Araújo e Emerson eram desfalques, o ex-jogador do Goiás perdeu espaço com a volta dos companheiros, foi para a reserva e agora revela seu incômodo com a situação.

“Primeiro a insatisfação: eu já disse que eu estou, mas pelo meu nível de competitividade. Nenhum jogador gostaria de estar de fora, que é o meu caso, mas eu respeito todos os meus companheiros. Não adianta nada eu vir me queixar aqui pra vocês, eu tenho que trabalhar, treinar mais, e resolver lá dentro do vestiário, com quem tem que resolver”, analisou o atacante, autor de sete gols na temporada.

Com o quarteto à disposição, Fred e Emerson são os titulares do Fluminense. Araújo faz companhia a Rafael Moura na reserva, mas ambos têm tido chances, ainda que entrando no decorrer dos jogos. Rodriguinho está em fase final de tratamento no departamento médico e logo deve passar a também disputar uma vaga no ataque tricolor.

Rafael Moura pensa que, não apenas seus companheiros, mas também ele seria titular em “qualquer outra equipe”: “O nível é alto e quem ganha com isso é o Fluminense. A minha insatisfação não pode se tornar uma revolta ou qualquer ato de indisciplina, que eu não tenho esse perfil. Não vou ficar me queixando pelos cantos quanto a isso”.

A não ser que Enderson Moreira decida poupar titulares no jogo do próximo domingo contra o Nova Iguaçu, Rafael Moura deve mais uma vez começar no banco de reservas no duelo que fecha a fase de classificação da Copa Rio.