Apesar de a diretoria da CBF ter garantido a permanência de Dunga no comando da seleção brasileira depois do fracasso na Copa América, o técnico Tite foi questionado nesta quarta-feira sobre um possível convite para dirigir a equipe nacional e disse que, neste momento, não tem interesse de deixar o Corinthians.

“Estou muito feliz no Corinthians e com meu trabalho. Todo trabalho deve ter início, meio e fim. Trabalhe-se as etapas, construa-se o trabalho. Acredito nisso. Senão não vamos conseguir estruturar clube nenhum”, afirmou em entrevista coletiva no CT do Parque Ecológico.

O treinador, inclusive, não quis se alongar nos comentários sobre o desempenho da seleção na Copa América. Tite, no entanto, indicou que são muitos os problemas que levaram o Brasil a ser eliminado, sábado, nas quartas de final diante do Paraguai, nos pênaltis. “Vamos precisar marcar um churrasco para conversar sobre vários assuntos”, disse.

Até mesmo sobre o rendimento do volante Elias, único jogador do Corinthians na seleção brasileira, o treinador foi evasivo. “Tenho muito o que resolver por aqui, vou me preocupar com as coisas dos outros? Tô fora!”, limitou-se a dizer.

Tite só se empolgou para falar a respeito da Copa América quando foi questionado sobre a goleada por 6 a 1 da Argentina sobre o Paraguai, terça-feira, na semifinal. “Se o time jogar mal com toda aquela qualidade, continua bem. É muita qualidade individual do meio para a frente. Messi é grande sem procurar ser grande. Ele é exemplo por toda essa genialidade que tem.”