Na manhã desta quarta-feira, o Prudentópolis salta as fronteiras do Paraná pela primeira vez em sete anos de história. Às 8h, o time embarca no aeroporto Afonso Pena rumo a Natal. Na capital do Rio Grande do Norte o time do interior vai enfrentar o São Gonçalo, às 20h30 de quinta-feira, pela Copa do Brasil.

Entre Curitiba e Natal, o Prude fará uma escala no Rio de Janeiro. A viagem tem duração prevista de 6 horas e meia. Às 14h30 a equipe treinada por Joel Costa desembarca no Nordeste e ruma para um teste de reconhecimento do gramado do Machadão, local da partida.

Com dores musculares, o lateral-esquerdo Zé Maria e o atacante Biro ainda não estão escalados. Por isso, os reservas Kiko e Torres poderão iniciar a partida.

Joel Costa planeja esta formação: Nei; Boré ou Danilo, Neto, Márcio e Zé Maria ou Kiko; Ricardo, Maranhão, Dudu e Airton; Biro ou Torres e Washington. A dúvida na lateral-direita (Boré ou Danilo) é de ordem tática.

O Prudentópolis pode até perder por quatro gols, desde que faça um, que mesmo assim voltará com a vaga. A folga deve-se a goleada por 4 x 0 no jogo de ida, em 4 de fevereiro.

A equipe paranaense não têm mais esperanças de derrotar o São Gonçalo no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O Prude alega que o adversário escalou três jogadores que não estavam inscritos para o torneio. “Agora já estamos viajando e vamos jogar. O julgamento vive sendo adiado”, reclama o supervisor Nelson Boreico, que estima em R$ 47 mil os gastos com a ponte Prudentópolis-Natal.