Se depender do Prudentópolis, não vai acontecer o jogo previsto para o dia 3 de março, pela Copa do Brasil, contra o São Gonçalo, em São Gonçalo do Amarante (RN). O time paranaense, que goleou o potiguar, por 4 x 0, semana passada, alega que o adversário utilizou três jogadores não inscritos na CBF.

A bronca foi transformada num recurso encaminhado ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) da CBF. Os “ilegais” do São Gonçalo seriam o meia Max e os atacantes Max e Flaviano. “Nenhum deles estava no boletim da CBF”, afirma o supervisor do Prudentópolis, Nelson Bureico.

O Prude argumenta que se um jogador não está inscrito para a primeira fase, a equipe que utilizá-lo deve ser punida tanto pelos dois jogos.

Se perder no STJD, restará ao time paranaense viajar para o Nordeste. Lá, se fizer um gol, poderá sofrer até quatro que ainda assim classifica.