A temporada nacional de vôlei que se inicia na primeira quinzena do mês que vem, com a disputa da Supercopa dos Campeões, terá uma novidade para o Rexona. Além de ter o governo do Paraná como parceiro, a Unilever vai colocar a marca da bebida à base de soja Ades, na camisa da equipe, que passará a se chamar Rexona/Paraná/Ades.

Outra mudança, é que agora o projeto deixa de ser um Centro de Excelência do vôlei, para se chamar Centro de Inclusão Social Rexona-Ades, ampliando o caráter de assistência.

O anúncio oficial foi feito ontem, no ginásio do Tarumã, quando foram apresentadas oficialmente as novas atletas da equipe: além dos retornos das atacantes Elisângela e Estefânia, o time comandado por Hélio Griner vai contar com a levantadora Fofão, as atacantes Marina e Viviane, além da estréia de Suelen, uma garota de 17 anos, que foi formada no projeto social do próprio Rexona, sendo aluna de Griner. O restante do elenco e a comissão técnica, não sofreram mudanças.

Segundo a gerente da marca Rexona, Daniella Esenbraun, a entrada da marca Ades possibilitou a contratação de reforços de peso para a equipe. Mas a principal mudança, para Daniella, diz respeito a ampliação do projeto social, que a partir do início do ano que vem passará a atender 500 crianças num novo núcleo do projeto, que estará funcionando no Centro de Capacitação Esportiva (CCE).

Ricardo Gomyde, presidente da Paraná Esporte, que estava representando o governo na cerimônia, revelou ainda que a partir do próximo ano não serão mais cobradas taxas das crianças que integrarem o projeto, em nenhum dos núcleos.

Time

Mas antes mesmo de estrear na Supercopa, Griner terá um problema para resolver. Ele não tem, dentro do grupo, uma substituta para a líbero Daniela, que teve uma lesão nos ligamentos do joelho esquerdo. “Para a Supercopa, vamos utilizar a Marcelinha, que jogou com o grupo no Paranaense”, revelou Griner.