Começou muito mais cedo do que todos poderiam supor a pressão pela venda de Kaká. O time do São Paulo e o presidente Marcelo Portugal Gouvêa foram bastante vaiados após o empate no sábado diante do Criciúma em Ribeirão Preto. A revolta nasceu porque pela terceira vez o clube deixa escapar a chance de assumir a liderança do Brasileiro. Todos acusaram o golpe.

Principalmente o presidente, que repassou a culpa da saída do jogador aos próprios torcedores. “Só faltava isso. Agora estou sendo criticados pelos torcedores por haver vendido o Kaká. Principalmente os da torcida uniformizada Independente. Eles mesmos estavam vaiando e pedindo a saída do jogador. Esse comportamento deles contribuiu para a venda. Não aceito essas críticas. Elas são injustas.”

A pressão que Marcelo sofre pela venda de, Kaká chegou até os conselheiros que não se conformam com o valor da transação, US$ 8,2 milhões, considerado baixo pelo talento do atleta de 21 anos.

Principalmente diante das dívidas de R$ 50 milhões anunciadas no último balanço do São Paulo. “Vou destinar 20% do dinheiro arrecadado com o Kaká e com Júlio Baptista (vendido por US$ 2,8 milhões) para pagar as dívidas. E vou explicar no site oficial do São Paulo o porquê dos R$ 50 milhões de dívida”, diz.

Portugal sabe o quanto está sendo criticado pelo endividamento. Ainda mais agora que já se esboça o início da campanha eleitoral. Gouvêa já perdeu o apoio da importante ala de Márcio Aranha que abandonou a vice-presidência do clube. Tentando ganhar a simpatia neste momento de cobrança, o dirigente faz questão de lembrar uma aposta sua que deu certo. “Não falavam que o Lugano era terceiro reserva no Nacional? Pois bem, ele conseguiu se adaptar ao futebol brasileiro e está jogando bem demais. Quero ver se as pessoas que me criticaram quando eu resolvi contratá-lo se elas reconhecem o meu acerto”, afirma.

Marcelo Portugal disse que sua esposa tirou fotos de Kaká assinando contrato com o Milan no seu escritório. “Ela comprou uma máquina descartável e vou revelar o filme para colocá-la no site”, diz, orgulhoso. O time enfrentará o Fortaleza, quarta-feira no Ceará. Ainda sem Ricardinho, Luís Fabiano e Júlio Santos.

Reprovado no teste para ser amuleto

Como amuleto, não passou no teste o meia Kaká, que assistiu ontem ao primeiro jogo de sua nova equipe, o Milan. Ao lado do presidente do clube, Silvio Berlusconi, o ex-jogador do São Paulo viu o time italiano ser derrotado pela Juventus por 2 a 0, com gols de Alessandro Del Piero e Mauro Camoranesi. O ex-jogador do São Paulo, contratado por US$ 8,2 milhões, será apresentado oficialmente hoje à torcida milanesa. De acordo com o site oficial do Milan, Kaká, antes de assinar contrato, fará os exames médicos.

A partida, disputada no Estádio San Siro, acontece todos os anos na Itália. É conhecida como “Troféu Berlusconi”. Os gols do confronto foram marcados por Alessandro Del Piero e Mauro Camoranesi.