O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, falou neste domingo pela primeira vez sobre o litigioso fim da passagem do zagueiro Pablo pelo clube. Em entrevista na saída do estádio, onde a equipe empatou com o Atlético-MG por 2 a 2 e recebeu a taça de campeão brasileiro de 2017, o dirigente afirmou que o clube fez uma proposta excelente pelo defensor, que não quis ficar por motivos financeiros.

“O que o Corinthians ofereceu a Pablo foi excelente. A diferença para o que ele pediu foi muito grande. Fiquei surpreso por ele não aceitar”, disse o dirigente em entrevista na zona mista na saída do Itaquerão. “Fiquei chateado por ele não ter aceitado a proposta. Ele estava esquecido na França, veio para cá, fez um campeonato e aí esperou o título para negociar, assim como o empresário dele, que dificultou as coisas”, afirmou.

A saída de Pablo foi confirmada no sábado, depois a diretoria anunciar que o jogador não aceitou a proposta salarial. O defensor pertence ao Bordeaux, da França, e veio ao Corinthians por empréstimo de uma temporada. O fim da passagem levou a diretoria tomar a decisão de tirá-lo dos jogos finais da temporada e, inclusive, da festa do título promovida neste domingo.

Pablo não foi ao estádio e deixou de receber a medalha de campeão brasileiro por decisão do clube, que não permitiu sua presença. “A decisão foi do Corinthians. No momento que ele decidiu não aceitar a proposta do Corinthians, ele não é mais jogador do clube. Isso foi uma decisão dele também. Agradeço pelo que fez, mas ninguém fez favor. Ele ficou nove meses no Corinthians”, comentou o dirigente.

O presidente alvinegro garantiu que o elenco não será desmantelado ao fim desta temporada e promete que, apesar das saídas de Pablo e Guilherme Arana, a diretoria vai buscar reforços. “Já estamos com algumas coisas andando, vamos trazer as peças necessárias que o Carille quer e estamos fazendo muito esforço para deixar o elenco mais forte para 2018”, disse.