A presidente da República Dilma Rousseff também lamentou a morte de Sócrates neste domingo. Em nota, ela elogiou a genialidade do ex-jogador e exaltou sua atuação política durante a ditadura militar, na década de 80.

“O Brasil perde um de seus filhos mais queridos, o doutor Sócrates. Nos campos, com seu talento e seus toques sofisticados, foi um gênio do futebol. Como jogador do Corinthians, deu muitas alegrias à torcida”, registrou a presidente, em nota oficial.

Dilma ressaltou ainda o envolvimento do ex-atleta com a campanha das Diretas Já e o movimento Democracia Corintiana, no qual os jogadores do clube tinham direito a voto em questões que iam desde o pagamento de “bichos” até contratações de reforços.

“Sócrates foi um campeão da cidadania. Fora dos campos, nunca se omitiu. Foi um brasileiro atuante politicamente, preocupado com o seu povo e o seu país. Procurando o bem-estar de seus companheiros, ajudou a implantar um sistema democrático no clube em que atuava. Participou também ativamente da campanha pelas Diretas Já e de outros momentos importantes da redemocratização do país”, completou a presidente.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também emitiu nota de pesar pela morte de Sócrates. “É com pesar que recebemos a notícia da morte do ex-jogador Sócrates, ídolo que dignificou o futebol brasileiro com talento, ética e solidariedade únicos. Sócrates fez parte do seleto grupo de estrelas de futebol que encantaram não só torcedores das equipes em que jogava, mas a todos os brasileiros. É um dia triste para o esporte nacional”, declarou Alckmin, torcedor declarado do Santos.

A perda do ídolo corintiano e da seleção brasileira levou ainda a prefeita de Ribeirão Preto, Dárcy Vera, a decretar luto oficial de três dias na cidade do interior de São Paulo. Foi no Botafogo de Ribeirão que Sócrates deu início a sua carreira profissional. “Sócrates levou o nome de Ribeirão Preto para todo o mundo. Foi porta voz da cidade mostrando nossas potencialidades”, afirmou a prefeita.

Aos 57 anos, Sócrates faleceu na madrugada deste domingo por conta de uma infecção generalizada. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde a noite de quinta-feira.