Após ser informado das declarações de Anelka, que negou ter assinado contrato com o Atlético Mineiro, o presidente Alexandre Kalil veio a público nesta quarta-feira para criticar o jogador e seus agentes, responsáveis pela negociação entre o atleta e o clube brasileiro.

Mais cedo, o atacante francês afirmara em vídeo que recebera proposta do Atlético, mas nunca assinara contrato. Surpreso com as declarações do clube, que “cancelara” o vínculo em entrevista coletiva na terça, Anelka disse que a negociação era uma “história fantástica”.

A declaração irritou Alexandre Kalil. “Se fosse comigo, eu não ia acreditar no que aconteceu. Como nós chutamos a bunda dele, porque ele falou que ia chegar dia 19 e nós o mandamos chegar em outro lugar, ele falou que era tudo fantasia. Na segunda, ele mandou um e-mail falando que ia chegar dia 19, aí nós mandamos o cara plantar batata”, declarou o dirigente, no Rio, onde participaria da eleição do novo presidente da CBF.

Kalil, que promete ir à Fifa contra o jogador e seus representantes, garante que a história não era fantasiosa. “Nós temos tudo assinado. Nós vamos mostrar que não é fantasia, porque nós vamos à Fifa contra ele. O Anelka vai ter de pagar o que nós gastamos: passagem, hospedagem… Que história é essa? Anelka vai pagar a despesa toda. Estou saindo do futebol, todo mundo sabe como eu trato minhas coisas, fiquei muito triste com isso.”

O presidente disse distribuiu críticas para os membros do estafe do jogador. “Não deu certo, não deu certo, mas ele não pode falar que é fantasia? Então, o irmão dele é vigarista, que foi a Belo Horizonte e tratou inclusive de comissão em dinheiro. Pago só depois que o jogador assinar”, afirmou.