O dia é de estreia do Brasil na Copa do Mundo, mas, na cidade de Campinas, as atenções e corações estavam voltados para a seleção portuguesa. Um dia depois de chegar no Brasil, Cristiano Ronaldo e companhia fizeram um treino aberto no Estádio Moisés Lucarelli, com a presença de cerca de oito mil pessoas. O espaço era democrático: as bandeiras e camisas dos dois países ocupavam as arquibancadas do local harmonicamente – tinha lugar até para o time da Ponte Preta, dono da casa.

A euforia da torcida anunciava a entrada da seleção portuguesa no gramado, pontualmente, às 10h30. Os gritinhos mais acalorados do lado feminino denunciavam: o melhor jogador do mundo estava presente no grupo. “Lindo. Maravilhoso”, berrava a mulherada. Os próprios voluntários pareciam esquecer o trabalho por um momento e se aglomeravam na grade para tentar ver de perto um dos mais aguardados jogadores da competição. “Cristiano, tira uma ‘selfie’ comigo!”, foi um dos gritos ouvidos.

Antes de começar o treino, os jogadores e a comissão técnica estenderam uma faixa em agradecimento à cidade. Pronto, torcida conquistada, bola em campo. Mas os gritos não paravam. Victor, Pedro, Stéfano e Rodrigo têm 10 anos e perderam um dia de aula para ver o craque português.

“Ele é o melhor do mundo. Ele bem que poderia vir aqui”, disse Victor. Os quatro fazem parte de um grupo de 12 crianças que estavam acompanhadas de três mães para lá de animadas. “O maridão ficou em casa e eu vim conferir o treino com os meninos. O bom é que também aproveitei para ver o Cristiano Ronaldo”, contou Juliana Teixeira, uma das três mamães.

Falando nele, não por acaso Cristiano Ronaldo faz sucesso por onde passa. Acostumado ao assédio de admiradores do seu futebol e também do seu porte físico, o jogador aproveitou para fazer algumas firulas e acenar para a torcida. A ala feminina, mais acalorada, ia à loucura a cada toque de bola ou gesto do português.

Às 11h20, a torcedora Naiara Castro, de 19 anos, conseguiu pular a grade e invadir o campo. No momento, Cristiano Ronaldo estava no alongamento e por lá permaneceu enquanto a jovem era contida por seguranças. Persistente, ela conseguiu da organização do evento uma breve oportunidade ao lado do português e saiu satisfeita com uma camisa autografada do craque.

Mas ela não foi a única contemplada. Alguns minutos antes de terminar o treino, os jogadores distribuíram algumas camisas entre os torcedores. Vinicius Ribeiro, de 12 anos, foi outro que invadiu o campo, contudo, não chegou a ter contato com Cristiano Ronaldo.

Faltando 15 minutos para o meio-dia, a seleção portuguesa e a comissão técnica se despediram dos torcedores. Momentos antes, uma adolescente caiu da arquibancada do Moisés Lucarelli ao tentar chegar mais perto do melhor jogador do mundo. Ela foi encaminhada para o hospital na maca do Corpo de Bombeiros.

De saída, os quatro amigos Victor, Pedro, Stéfano e Rodrigo são questionados se, depois de tanta gritaria, vão ter fôlego para torcer para o Brasil na estreia contra a Croácia. “Temos que ter, né?”, responderam.