enkontra.com
Fechar busca

De Letra

esportes

Prata em Tbilisi, Rafaela Silva ressalta superação depois de lesão no joelho

  • Por Estadão Conteúdo

Rafaela Silva bateu na trave pela terceira vez na temporada de 2019, nesta sexta-feira, ao conquistar a medalha de prata do Grand Prix de Tbilisi na categoria até 57kg. A brasileira perdeu para a kosovar Nora Gjakova na final e repetiu os resultados obtidos recentemente em Oberwart, na Áustria, e em Dusseldorf, na Alemanha. Mas a campeã olímpica dos Jogos do Rio-2016 deixa a capital da Geórgia satisfeita por conta da sua superação que mostrou após se recuperar de uma lesão no joelho.

“É a terceira vez que venho para a Geórgia e nessas três vezes fiz final. Estou muito feliz com meu desempenho nessas competições de início de 2019. Na final, senti um pouco o ritmo. Eu lesionei o joelho nas últimas competições, então estava mais fazendo fisioterapia e tentando intensificar minha parte física. Mas ainda estou sentindo um pouco a falta de ritmo de treino. Agora é aproveitar essa semana para preparar porque já tem competição no próximo final de semana de novo”, explicou Rafaela Silva, já projetando a sua participação no Grand Prix de Antalya, na Turquia, na próxima sexta-feira.

A primeira medalha brasileira do dia, um bronze, veio com a ligeiro Nathália Brígida (até 48kg). Foi o terceiro pódio dela em 2019, em resultados que consolidam o seu retorno às competições e à disputa pela vaga nos Jogos de Tóquio-2020. “Estou fechando esse trimestre com mais uma medalha, a terceira em seis competições. Estou contente com minha evolução, mas tenho muito mais a evoluir nessa busca pela vaga olímpica”, avaliou a judoca, que foi bronze também no Grand Prix de Tel Aviv, em Israel, em janeiro, e no Grand Slam de Dusseldorf, em fevereiro.

Larissa Pimenta (até 52kg), de 19 anos, também vem mostrando regularidade em 2019 e conquistou o seu quarto pódio na temporada, o primeiro em Grand Prix, com o bronze em Tbilisi. Ela embalada pelos ouros nos Abertos de Lima, no Peru, e de Santiago, no Chile, nas últimas semanas.

“Esse ano está sendo um ano bem diferente para mim, de adaptação e de evolução. A cada competição eu estou me sentindo melhor. Eu fui para três competições no começo do ano, evoluindo em cada um. Fui para os Opens, medalhei, fui campeã. E não ia sair daqui hoje (sexta-feira) sem medalha. Treinei bastante para isso, espero evoluir cada vez mais e agradeço à CBJ por me apoiar nessa caminhada”, comemorou Pimenta.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas