O técnico italiano Cesare Prandelli fez na tarde desta segunda-feira mais críticas à organização da Copa das Confederações. Ele considerou um absurdo o fato de sua equipe ter disputado três partidas em seis dias na primeira fase, e reclamou de algumas seleções terem tido mais tempo de preparação para o torneio e mais dias de descanso entre uma partida e outra.

“Esta competição é muita importante por ser no país do Mundial e dar a chance de medirmos forças com várias escolas, mas na minha opinião é mal organizada. O Brasil está treinando há um mês porque não tem de jogar as Eliminatórias, e o tempo de recuperação entre uma rodada e outra não foi o mesmo para todas as equipes.”

Por causa do calor e da umidade que sua equipe vem encontrando nas cidades por onde passa, o treinador disse que para o Mundial será preciso ter 23 “atletas”, e não apenas 23 jogadores. “O atleta chega bem preparado para a competição e consegue suportar bem as condições climáticas”, comentou.

O médico Enrico Castellacci, que estava ao seu lado durante a entrevista, concordou. E disse que o planejamento da preparação para a Copa do Mundo será feito depois do sorteio dos grupos, que ocorrerá dia 6 de dezembro na Costa do Sauípe. “Estamos jogando com calor e umidade, mas no sul do Brasil o clima é bem diferente e faz frio no inverno. Quando soubermos em que cidades vamos jogar ano que vem faremos o planejamento adequado para as condições que encontraremos.”