Campeão mundial e olímpico e com uma regularidade ímpar, Arthur Zanetti pode até não vencer a prova de argolas no Mundial de Nanning, na China, em outubro, mas é certeza de uma boa nota para o Brasil na competição, que já vale como Pré-Olímpico. Mas Zanetti precisa contribuir em outros aparelhos e por isso ele vem focando no solo e no salto.

Nas próximas duas semanas, ele estará com a seleção brasileira masculina em um camping de treinamento em Anadia (Portugal). “Em Portugal, vou trabalhar solo, salto e argolas. Nas argolas, vou fazer uma série com um pouco mais de dificuldade na nota de partida, 6.9. No solo, vou fazer minha série nova e, no salto, quero trabalhar um pouco mais de dificuldade, para ajudar mais a equipe”, comentou Arthur.

No Mundial, cada equipe tem seis atletas, sendo que as três melhores notas em cada aparelho são consideradas. Zanetti, por brigar por medalha individual nas argolas, é um dos membros do time. Mas ele precisa de bons resultados em outros aparelhos para colaborar com a equipe.

Na China, o Brasil precisa ficar entre os 24 melhores por equipes para se classificar para o Mundial do ano que vem, em Glasgow. Na Escócia, estarão em jogo cinco vagas por equipes para os Jogos do Rio. O Brasil, mesmo sendo país-sede, não tem time garantido na Olimpíada. No último Mundial que teve provas por equipes, em 2011, acabou na 13.ª colocação.