Com uma campanha regular no Campeonato Brasileiro, a Ponte Preta se dá ao luxo de também entrar com força na Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira, às 19h15, o time do técnico Gilson Kleina enfrenta o Sol de América, do Paraguai, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pelo jogo de ida da segunda fase da competição.

Vice-campeã em 2013, a Ponte Preta teve dificuldades, mas eliminou o Gimnasia La Plata na primeira fase com dois empates: 0 a 0, em Campinas, e 1 a 1, na Argentina. Como fez um gol fora de casa, passou nos critérios de desempate. Já o Sol de América ganhou do Estudiantes, de Caracas, por 3 a 2 na Venezuela e depois goleou por 7 a 1 no Paraguai.

Neste confronto, o clube paulista terá que superar a ausência de Lucca. O atacante emprestado pelo Corinthians balançou as redes sete vezes no Brasileirão, mas cumprirá o segundo jogo de suspensão após expulsão no primeiro duelo diante do Gimnasia La Plata. O experiente Lins fica com a vaga.

Sem Lucca, as esperanças de gols caem sobre Emerson Sheik. O atacante de 38 anos já fez boas atuações com a camisa da Ponte Preta, mas ainda não balançou as redes. Substituto de Willian Pottker (que se transferiu para o Internacional) na lista de inscritos, o campeão mundial com o Corinthians utilizará a camisa 9.

Mais do que os bons resultados na primeira fase, o Sol de América viajou para Campinas com a vantagem de ter mais conhecimento de seu adversário do que o contrário. No Torneio Apertura do Campeonato Paraguaio, o clube ocupa a quinta colocação, com 15 pontos. Nos últimos 14 jogos, sofreu apenas uma derrota, mas já são quatro empates consecutivos – diante de Sportivo Luqueño, Olimpia, Diaz e Sportivo Trinidense.

O grande destaque do time é a defesa, que sofreu apenas 17 gols em 22 partidas na temporada. Desta forma, se espera que o Sol de América jogue nos contra-ataques em Campinas.