Depois de viver uma semana agitada pela rescisão de contrato do atacante Roger, a Ponte Preta tenta acabar com a má fase e superar os momentos de insegurança diante do Santos, neste sábado, a partir das 21 horas, no estádio Moisés Lucarelli, pela 34.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo originalmente estava marcado para este sábado, às 21 horas, mas foi transferido de data pela CBF, na noite de sexta-feira, para atender a um pedido da Polícia Militar de Campinas, que alegou não ter condições de fazer a segurança na noite de sábado.

Há quatro rodadas na 10.ª posição, com 45 pontos, o time campineiro precisa vencer para recuperar a confiança. É o que pensa o técnico Eduardo Baptista, que nesta sexta-feira fez apenas um treino recreativo no próprio gramado do Moisés Lucarelli. “Vai ser um grande jogo porque vão estar frente a frente duas grandes equipes. São times leves, jovens, que propõem o jogo e que sempre buscam o ataque”.

Na prática, o técnico vai manter o esquema 4-3-3, com apenas uma mudança em relação ao time que perdeu para o Sport, no Recife, na última rodada. Após várias falhas individuais, o zagueiro Fábio Ferreira perdeu a vaga para Douglas Grolli. “Ele vive um melhor momento, trabalhou alguns fundamentos e merece a oportunidade” justificou Eduardo Baptista.

O ataque terá William Pottker na frente ao lado de Rhayner e Clayson, que costumam recompor a marcação. A esperada volta de Roger acabou frustrada com a rescisão contratual confirmada na última quinta-feira, dois dias após ele viajar ao Rio para assinar um pré-contrato e realizar exames médicos no Botafogo. Roger é vice-artilheiro do time com oito gols, atrás de Pottker, que tem 11.

O aproveitamento da Ponte Preta em casa é muito bom, de 80%. Tanto que nas últimas duas vezes que atuou diante de sua torcida saiu de campo vitorioso. Bateu o Vitória, por 2 a 0, e o Santa Cruz, por 3 a 0. Era o que o time precisava para chegar à marca de 45 pontos e se garantir na elite em 2017. Depois perdeu fora para o São Paulo e para o Sport. Agora busca a reabilitação. Não pensa mais em buscar vaga para a Copa Libertadores, mesmo porque deve ter vaga na Copa Sul-Americana.