Uma grande operação policial está preparada para o Atletiba de amanhã. Entre policiais militares e guardas municipais, cerca de 350 homens estarão trabalhando na segurança do clássico. Promessa de vigilância cerrada sobre os torcedores brigões, nos arredores do Couto Pereira e nos terminais de transporte coletivo.

Segundo o major Buzenco, responsável pela operação, o objetivo é dar ao torcedor e a população em geral a segurança de um domingo tranqüilo. ?Das 12h às 22h, a Polícia Militar e a Guarda Municipal estarão agindo ao redor do estádio, nas vias de acesso e nos terminais?, afirma o major.

Para evitar confrontos antes e após a partida, não será permitida a entrada de torcedores com camisas ou qualquer peça de roupa que identifique as torcidas organizadas. Medida adotada em clássicos em Curitiba desde 2001. ?Pedimos também aos torcedores que cheguem ao estádio com antecedência, para evitar tumultos e aglomerações?, diz o major Buzenco. A PM fará a escolta das torcidas organizadas do Atlético, que partirão a pé da Baixada por volta das 13h.

Toda a carga de ingressos para o clássico está esgotada. Portanto, só deve se dirigir ao Couto Pereira quem já garantiu seu lugar. A permanência de pessoas sem bilhetes nas ruas que dão acesso ao local da partida não será permitida.

Quem mora na região do Alto da Glória ou pretende passar nos arredores no domingo também deve ficar atento ao trânsito. ?A Rua Mauá estará fechada para veículos a partir das 10h. A partir do meio dia, isolaremos um raio de aproximadamente uma quadra a partir do estádio?, revela Buzenco.

Após o jogo, a torcida do Atlético deve se retirar imediatamente do Couto. Já os torcedores do Coritiba terão que aguardar 15 minutos, independente do resultado. ?Pedimos à população que vá ao jogo imbuída de um clima de festa, para que na segunda-feira possamos comemorar um saldo positivo, sem nenhuma confusão ou confronto?, pede Buzenco.