Depois de mais de dez horas de reunião, o Conselho Mundial da FIA puniu ontem a McLaren com a perda de todos os pontos obtidos no mundial de construtores deste ano e multou a equipe inglesa em US$ 100 milhões.

O time foi considerado culpado no caso de espionagem que veio a público em julho, quando a Ferrari acusou seu ex-chefe de mecânicos, Nigel Stepney, de passar informações sigilosas para o ex-projetista da McLaren, Mike Coughlan.

Os pilotos Lewis Hamilton e Fernando Alonso saíram ilesos. Por terem colaborado com a investigação, mantêm sua pontuação e continuam na briga pelo título. O inglês tem 92 pontos, contra 89 do espanhol. Neste fim de semana, eles disputam o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps.

O detalhe é que a multa, a mais alta aplicada na história do automobilismo, já chega com desconto. A FIA vai abater do valor a quantia que a McLaren receberia da FOM, a holding que controla comercialmente a F1, pelos pontos conquistados no campeonato. Até o fim do ano, a McLaren também não pontua mais. E caso seus pilotos ganhem corridas, nenhum integrante será admitido no pódio para receber o troféu entregue tradicionalmente à equipe vencedora.

Por fim, o time inglês terá de entregar à FIA todos os projetos relativos ao seu carro de 2008, para que se apure se alguma informação vazada da Ferrari foi usada nos planos para o ano que vem.

E hoje de manhã, a partir das 5h de Brasília, o ?GP de Paris? fica para trás porque os pilotos começam os treinos para o GP da Bélgica – este, disputado na pista, e não nos tribunais. Como disse Ron Dennis, ?o mais importante disso tudo é que vamos correr neste fim de semana?.