O técnico Rubén Magnano definiu nesta segunda-feira mais um corte da seleção brasileira de basquete que vai à Copa América da Venezuela. Um dia após a derrota para a Argentina na decisão do Super Four, o treinador anunciou a dispensa do jovem pivô Lucas Mariano, reduzindo o grupo que se prepara para a competição a 14 jogadores – a delegação deve viajar para a Venezuela com 12 atletas.

Caçula do grupo, aos 19 anos, Lucas teve algumas oportunidades nos últimos amistosos da seleção e chegou a ter destaque em amistoso diante do Uruguai, na semana passada, quando marcou 14 pontos. O jogador do Franca é tido como aposta para o futuro e Magnano fez uma avaliação positiva de sua participação com o time brasileiro.

“O Lucas teve uma experiência positiva conosco, conviveu com atletas de alto nível e disputou jogos internacionais. Espero que continue nesse caminho de crescimento e sirva de exemplo para os jovens que estão começando no basquete”, declarou o treinador.

Com a saída de Lucas, o garrafão brasileiro fica com seis atletas: Guilherme Giovannoni, JP Batista, Caio Torres, Rafael Hettsheimeir, Rafael Mineiro e Cristiano Felício. O setor foi o mais afetado pelos cortes por contusão e pedidos de dispensa – Nenê, Anderson Varejão, Tiago Splitter, Lucas Bebê e Vitor Faverani pediram dispensa, enquanto Augusto Lima e Paulão Prestes foram vetados.

Agora a seleção brasileira se prepara para o amistoso contra o México, que será realizado nesta terça-feira em São Paulo. As equipes se enfrentam pela terceira vez em poucas semanas. Nas anteriores, em duas edições do torneio Super Four – em Salta, na Argentina, e Anápolis, em Goiás -, deu Brasil.

“No primeiro jogo ganhamos com certa facilidade, mas no sábado, em Anápolis, a vitória só veio no último minuto. Isso mostra que eles também estão evoluindo. Precisamos aproveitar essa partida para continuar corrigindo alguns detalhes na defesa e no ataque para chegarmos nas condições ideais na Copa América”, disse o ala Alex.