O astro paralímpico Oscar Pistorius chegou nesta sexta-feira a um tribunal de Pretória, onde foi prestar depoimento depois de ter sido acusado de assassinar a namorada, a modelo Reeva Steenkamp, com quatro tiros na sua própria residência na capital da África do Sul na última quinta. O atleta escondeu o rosto com o paletó do terno que usava em sua chegada ao local, chorou abertamente e depois foi acusado formalmente pelos promotores do caso de premeditar o assassinato.

A Justiça de Pretória também negou o pedido de fiança feito pelos advogados de Pistorius. O atleta estava sob custódia da polícia e passou a última noite na prisão, onde deverá permanecer pelo menos até a próxima terça-feira, para quando foi marcada pelo juiz Desmond Nasir uma nova audiência com o atleta.

Acusado de assassinato, a estrela do atletismo não conseguiu segurar as lágrimas em sua primeira audiência no caso que chocou a África do Sul e o próprio mundo do esporte, pois o corredor é um dos atletas mais importantes da atualidade e fez história no ano passado ao se tornar o primeiro biamputado a participar de uma edição dos Jogos Olímpicos, em Londres.

O corredor de 26 anos de idade compareceu ao tribunal acompanhado do seu pai, Henke, do irmão, Carl, e da irmã, Aimee, além de outros parentes e amigos que foram dar suporte ao atleta, que se mostrou visivelmente abalado.

A polícia informou nesta sexta-feira que uma autópsia no corpo da vítima estava sendo feita, mas a tenente-coronel Katlego Mogale avisou que os resultados obtidos através da mesma não seriam divulgados.

Mais de 100 pessoas lotaram o tribunal de Pretória para acompanhar o depoimento de Pistorius, assim como dezenas de cinegrafistas e fotógrafos estiveram presentes no local. Anteriormente, o atleta deixou a delegacia na qual estava preso escondendo o rosto com uma jaqueta, antes de entrar em um carro de polícia que o levou até o tribunal. Aparentemente, ele estava segurando um lenço branco em uma das mãos.

A polícia sul-africana informou que Reeva Steenkamp, de 30 anos, foi baleada com quatro tiros dentro da casa de Pistorius, que fica em um condomínio de luxo em Pretória. Agentes encontraram uma pistola de 9 milímetros dentro do local e prenderam Pistorius sob acusação de matar a namorada.

Agora formalmente acusado de assassinato premeditado, Pistorius representou a África do Sul nos 400 metros e no revezamento 4×400 metros da Olimpíada de 2012, tendo atingido a semifinal da primeira destas duas provas. O astro, que corria com próteses nas duas pernas, também participou da Paralimpíada de Londres, na qual manteve o título dos 400 metros.