Com espaço cada vez maior na seleção brasileira de Dunga, o meia Phillipe Coutinho admite que os seguidos cortes no grupo – foram seis até agora – atrapalham. Mas prefere acreditar que o treinador tem substitutos à altura e que o entrosamento, que fica comprometido, vai ser ganho ao longo dos jogos da Copa América Centenário.

“É claro que é ruim quando alguém é cortado. Mas no grupo dos 40 (os pré-convocados) por Dunga há jogadores de qualidade e com totais condições de ajudar a seleção”, disse o jogador do Liverpool, que deve ser confirmado nesta sexta-feira como titular da equipe que estreia no sábado na competição, enfrentando o Equador no Rose Bowl, em Pasadena.

Phillipe Coutinho admite que a responsabilidade dos jogadores que estão na seleção é grande, mas garante que estão todos preparados para lutar pelo título da Copa América. “A gente pensa em jogo após jogo. O Equador é nosso foco total, tem uma equipe forte fisicamente, marca bem e saí rápido. Nosso foco é ganhar o jogo e pensar no próximo”, afirmou.

Para ele, o fato de o grupo da seleção ser composto de jogadores bastante unidos vai ajudar a superar, dentro de campo, as dificuldades. “Está todo mundo preparado e focado, nosso objetivo é brigar pelo título. Tivemos cortes, lesões, mas os jogadores que estão chegando são de muita qualidade. Estamos trabalhando para entrosar.”