Uma decisão australiana marcou o retorno da Ilha Reunião ao calendário do WCT. Depois de três adiamentos consecutivos, as ondas reapareceram com boas condições para o encerramento da quinta etapa da temporada 2005 na sexta-feira em Saint Leu. Em séries constantes de 1,5m a 2,0m, Mick Fanning conquistou sua segunda vitória e voltou a encostar nos líderes Kelly Slater e Trent Munro.

Na grande final, ele bateu o amigo Phillip MacDonald com uma larga vantagem de 17,10 x 5,30 pontos de 20 possíveis para faturar US$ 30 mil do Rip Curl Search WCT. No último dia, o paranaense Peterson Rosa ainda despachou o norte-americano Cory Lopez, mas foi barrado por MacDonald nas semifinais.

Com a terceira colocação na prova, melhor resultado do Brasil desde o Nova Schin Festival WCT Brasil 2004 em Santa Catarina, o tricampeão brasileiro se aproximou do seleto grupo dos top-16 da ASP, passando a dividir a 17.ª colocação com o australiano Tom Whitaker. Na segunda-feira, ele e muitos outros brasileiros vão competir no WQS 6 estrelas de Durban e o próximo desafio do WCT também será na África do Sul, de 12 a 22 de julho em Jeffreys Bay.

O grande feito de Peterson Rosa nas longas esquerdas de Saint Leu foi ter eliminado o tricampeão mundial Andy Irons nas oitavas-de-final, mas ele também derrotou o vice-campeão mundial Joel Parkinson em sua estréia no Rip Curl Search WCT e ainda despachou o campeão mundial de 1999, Mark Occhilupo, na terceira rodada da competição. Pelo terceiro lugar, Peter recebeu US$ 10 mil de prêmio e marcou 876 pontos no ranking em que ele foi o décimo do mundo no ano passado.

?Foi realmente um grande campeonato para mim?, ponderou Rosa. ?Todos que estão aqui são ótimos surfistas. Eu cometi pequenos erros nas semifinais e fiquei um pouco desapontado com isso, mas estou muito feliz pelo resultado, que melhorou bastante minha posição no ranking?, completou.