O troféu da 3.ª Meia Maratona das Cataratas do Iguaçu, marcada para o dia 5 de julho, em Foz do Iguaçu, vai levar o nome “Itaipu Binacional – 35 Anos”, em alusão à criação da empresa que construiu e administra a maior hidrelétrica do mundo em geração de energia. Os organizadores esperam bater o recorde de participação este ano, com pelo menos mil corredores de 50 países na disputa, contra 750 na meia maratona do ano passado.

O evento foi lançado oficialmente na semana passada com um café da manhã oferecido a autoridades e imprensa de Foz do Iguaçu e região, no Restaurante Porto Canoas, que funciona no Parque Nacional do Iguaçu.

Participaram da solenidade o secretário de Turismo de Foz, Felipe González, o diretor do Parque Nacional do Iguaçu, Jorge Pegoraro, o superintendente de Comunicação Social da Itaipu Binacional, Gilmar Piolia, o gerente da empresa Cataratas do Iguaçu S/A, Celso Florêncio, e o presidente da Associação Pró-Correr, Tadeu Natálio.

Dois dos principais chamarizes para concretizar a meta de atrair um número recorde de participantes são o percurso da meia maratona, em um cenário deslumbrante e único no planeta, e a premiação, que agora está entre as melhores oferecidas pelas corridas desta modalidade no Brasil. Serão distribuídos R$ 60 mil em prêmios aos atletas masculinos e femininos.

O primeiro, segundo e terceiro lugares entre os homens e mulheres receberão, respectivamente, R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil. Só para se ter uma ideia do crescimento da prova, no ano passado os três primeiros lugares de cada categoria levaram para casa R$ 1,2 mil, R$ 800 e R$ 500.

Fora a premiação, a meia maratona tem o grande diferencial de ser um encontro perfeito entre esporte e natureza. Dos 21.097 metros de trajeto, nove quilômetros são pela Rodovia das Cataratas e 12 quilômetros dentro do Parque Nacional do Iguaçu. Durante o caminho, os competidores passam por belas paisagens, culminando com o cenário exuberante das Cataratas do Iguaçu.