O Santos continua devendo futebol em 2003. Outra vez Diego e Robinho não foram bem e o nome do jogo acabou sendo Elano, que além de fazer o gol da vitória, esteve acima da média até mesmo quando foi outra vez, no segundo tempo, recuado para a lateral-direita, substituindo Reginaldo Araújo, que teve uma fraca estréia. Com a vitória por 1 a 0 contra o Juventus, ontem, o Santos assumiu a liderança do Grupo 2 do campeonato paulista.

Nos primeiros minutos não faltaram arte, ousadia e bonitas jogadas de ataque dos meninos da Vila Belmiro. O bom público, só de santistas, sentia que seria impossível não sair uma goleada, tamanho o desequilíbrio de forças. A torcida fazia o “ola” e vibrava com o futebol insinuante de Robinho e companhia. Foi um início fulminante, verdadeiro bombardeio dos atacantes e meias santistas contra a assustada equipe da Mooca, que se limitava a se defender.

Mas o ritmo alucinante de Renato, Elano, Léo, Robinho e Diego durou apenas 20 minutos. Logo depois de Elano receber a bola no meio-de-campo, olhar para os lados e, não vendo ninguém em boas condições para receber o passe, disparou um perfeito chute de esquerda, fazendo 1 a 0, a partida mudou por completo.

Em vez de se abalar ou procurar chegar ao empate na base do desespero, o Juventus organizou melhor as duas linhas defensivas e passou a tocar a bola lateralmente, para ganhar tempo, até mesmo quando havia a chance de criar um lance de ataque. E também passou a tentar parar os garotos da Vila na base dos pontapés, tanto que o juiz Edílson Pereira de Carvalho mostrou o cartão amarelo para Anderson, Leandro, Itabuna e Hugo, todos do Juventus, só no primeiro tempo.

Leão procurou fazer o time reagir com uma troca no intervalo: tirou Reginaldo Araújo e passou Elano para a lateral. Mas a mudança deu resultado somente nos primeiros minutos da etapa final. Aos 10 minutos, o meia escapou pela direita e cruzou para a entrada de Ricardo Oliveira, que cabeceou para o chão. A bola bateu no chão e no travessão e depois saiu. Depois criou outras boas jogadas pelo setor até cansar e ser substituído por Alexandre.

Em boa parte do segundo tempo, os dois times estiveram iguais e o Juventus até poderia sonhar com o gol de empate se tivesse alguma vocação ofensiva, porque inúmeras vezes ficou no mano-a-mano ou em vantagem numérica contra a defesa santista, mas não soube aproveitar as oportunidades.

Ficha Técnica

Local: Pacaembu (São Paulo). Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho. Gol: Elano, aos 20? do 1.º tempo.

Juventus: Willians; Hugo, Itabuna, Luizão e Alex (Dudu); Édson, Dirceu, Anderson e Cristian (Rael); Leandro (Sidnei) e Alvim. Técnico: Paulo Sérgio Tognasini.

Santos: Fábio Costa; Reginaldo Araújo (Nenê), Preto, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Alexandre) e Diego (Fabiano); Robinho e Ricardo Oliveira. Técnico: Emerson Leão.