A diretoria do Vasco fez um grande esforço nos últimos dias para conseguir a liberação do meia Pedro Ken para enfrentar o Cruzeiro, que é dono de seus direitos e o emprestou para o clube carioca no começo do ano. Feliz por poder disputar o jogo deste sábado, no Maracanã, o jogador tratou de descartar o papel de “salvador da pátria” vascaíno e garantiu que a responsabilidade é a mesma de todos.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, Pedro Ken comemorou a liberação – existe uma cláusula contratual no empréstimo que impediria um confronto com o Cruzeiro – e agradeceu o empenho da diretoria do Vasco. “Fico feliz, ter esse reconhecimento é importantíssimo para mim. É fruto do que sempre procurei fazer dentro de campo e no dia a dia. Espero retribuir isso dentro de campo”, afirmou o meia.

Apesar disso, ele não acredita que, com essa liberação, passe a ter maior responsabilidade no jogo contra o Cruzeiro. “A responsabilidade é igual para todo mundo. Fico feliz pelo esforço que foi feito, mas acho que não aumenta a minha responsabilidade. Não vou salvar a pátria, mas vou fazer o melhor como sempre fiz”, explicou Pedro Ken, que é um dos titulares do técnico Adilson Batista no time do Vasco.

Assim, com Pedro Ken em campo, o Vasco espera vencer o campeão Cruzeiro para se manter vivo na luta contra o rebaixamento no Brasileirão – está apenas na 18ª colocação, com 38 pontos somados. “Enquanto a gente tiver meio por cento de chance (de evitar a queda), a gente vai acreditar. Tem que acreditar até o final”, disse o meia. “É uma decisão, esse é o espírito. Temos que ganhar de qualquer jeito.”