t1x181104.jpg

Segundo o capitão Axel,
"Cada jogo é uma história, que tem que
ser desvendada  dentro de campo.

O técnico Paulo Campos garante conhecer muito bem o adversário deste sábado, às 16h, no Pinheirão. Mas, admite que o comportamento do Atlético Mineiro é uma incógnita. É uma dedução simplista ante os altos e baixos do time mineiro, que vem embalado por uma expressiva goleada sobre o Flamengo, mas que já sofreu várias derrotas por larga margem de gols. O técnico tem uma certeza: é jogo de vida ou morte.

Os números comprovam isso. Se hoje o Tricolor tem um ponto a menos que adversário, no caso de derrota o Galo abre quatro pontos e dá importante passo para escapar da degola. Seria difícil superá-lo nas quatro rodadas restantes. Com a vitória, o time de Paulo Campos sai da zona de rebaixamento e fica perto de conquistar a permanência na Série A, já que terá mais dois jogos em casa – contra Goiás e Fluminense – para se distanciar de outros clubes ameaçados.

"O Atlético tem grandes jogadores e será um jogo de superação", alertou Paulo Campos. Os jogadores tem pensamento parecido ao do seu treinador. O capitão Axel preferiu não arriscar um prognóstico sobre o comportamento do Atlético-MG. Disparou uma frase emblemática sobre o tema. "Cada jogo é uma história, que tem que ser desvendada dentro de campo", disse. Mesmo sustentado por teipes de jogos recentes do adversário, o Paraná irá se preparar para as mais diversas situações.

"Eles podem jogar fechados, no contragolpe, ou tentar sair matando. Temos que estar prontos para tudo, com variações que nos permitam comandar as ações", comentou o meia Cristian, que volta ao time. Ele entra na vaga de Canindé, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. É, a rigor, a única mudança em relação à equipe que empatou com o Paysandu, em Belém do Pará. O lateral Edinho já está recuperado de lesão muscular, mas está voltando gradativamente aos treinos e só deve ser utilizado no jogo contra o Goiás.

No primeiro treino tático da semana, Paulo Campos trabalhou esta equipe e em campo reduzido, aumentando a dificuldade nos passes e nas finalizações. Em jogos recentes, no Pinheirão, o Paraná encontrou dificuldades para envolver os adversários. Mesmo vencendo Figueirense e Grêmio, o time não conseguiu um bom rendimento na articulação do meio-de-campo. Muito disso, segundo os jogadores, se deve à condição do gramado, irregular e que dificulta a troca de passes em velocidade.

"Nesse momento, tudo é deixado de lado. Vale a vibração e a vontade de vencer", assegurou o atacante Galvão. Artilheiro da equipe com 15 gols marcados (dois deles erroneamente creditados a outros atletas), Galvão balançou as redes quatro vezes nos últimos cinco jogos, com direito a um golaço em São Caetano do Sul. Só passou em branco contra o Grêmio. "O astral do nosso grupo é muito bom e isso pode fazer a diferença neste momento de definição", finalizou o goleador paranista.

Pacote também vale dois ingressos

Torcedores que adquiriram o Pacote Tricolor no início do Brasileirão também terão direto a um ingresso de cortesia no jogo deste sábado. A promoção "Pague 1/Leve 2" é a estratégia da diretoria para garantir "casa cheia" em uma partida onde só a vitória interessa. Independente do ingresso adquirido – R$ 15,00, R$ 7,50 (sócios, mulheres, menores e estudantes) ou R$ 7,00 (setor abaixo das cabines de imprensa) – o torcedor levará "na faixa" um ingresso de cortesia.

O jogo será às 16h, mas o torcedor pode chegar cedo no estádio. Os portões serão abertos às 13h e às 13h30 haverá um bom "aperitivo": Paraná Clube x Atlético, pela fase semifinal dos juniores.

A diretoria fez questão de explicar que os portadores do Pacote Tricolor devem retirar o ingresso de cortesia na sede da Kennedy. Para os demais torcedores, na compra do ingresso a cortesia já será entregue no ato. "Serão ingressos diferenciados, para que no sábado não haja tumulto na entrada", explicou o superintendente de futebol, Ricardo Machado Lima.