Dia de defender seus controversos astros no Flamengo. Depois da primeira derrota na Libertadores, para o Universidad de Chile, os jogadores desembarcaram nesta quinta-feira no Rio. Estrelas da companhia, e que estão causando rebuliço nas páginas policiais, Vágner Love e Adriano não quiseram falar com a imprensa, assim como outros jogadores.

Coube então à presidente Patrícia Amorim a tarefa de minimizar a relação entre as muitas polêmicas extracampo – Love e Adriano terão de prestar esclarecimentos à polícia sobre seu suposto envolvimento com traficantes – e sair em defesa da dupla de ataque, que teve atuação discreta contra os chilenos.

“As pessoas estão exagerando no que publicam. Não é bem assim. Essa derrota foi uma situação normal. Nosso grupo é unido e tem conseguido bons resultados. É isso que importa”, disse Patrícia, no que foi acompanhada por Andrade. Para o técnico, a derrota foi um evento estritamente ligado ao futebol. “Eles poderiam ter feito gol, principalmente com o Love. Não é todo dia que eles vão desequilibrar um jogo”, justificou.

Mas as palavras do zagueiro Álvaro deixam transparecer que não é tão fácil assimilar tantas críticas impunemente. “Estão falando coisas pesadas e que acabam ferindo, entrando no lado pessoal. Mas estamos sabendo assimilar, não só no individual, mas como grupo. Isso está fazendo o grupo cada vez mais forte”, comentou.