Uma parte da arquibancada do setor fundo superior da Vila Belmiro desabou no domingo. O acidente só veio à tona nesta terça-feira, sendo confirmado pelo Santos. Ninguém ficou ferido com a queda, ocorrida enquanto uma empresa realizava um serviço de manutenção no local.

Em nota, o Santos contou que, no início de janeiro, “como de costume”, começou a realizar algumas obras na Vila Belmiro. Entre elas, “a intervenção e inicio da demolição do corredor de acesso a arquibancada (setor 203) que sustenta o guarda corpo”.

“Na madrugada de domingo, o trecho que ainda restava ser demolido se desprendeu danificando a cobertura de policarbonato de três camarotes no setor térreo”, explicou o Santos, revelando ainda que a previsão de término dos serviços de recuperação é de 15 dias.

É um prazo apertado para a estreia no Campeonato Paulista, daqui a 17 dias, contra o Linense. O duelo está marcado para a Vila Belmiro e tende a ser mantido no local, ficando interditado apenas o setor atingido, onde costuma ficar uma torcida organizada, a Sangue Jovem.

A Vila Belmiro completou 100 anos de existência no dia 12 de outubro do ano passado. Em 1964, o estádio foi palco do maior acidente em um estádio brasileiro. Num Santos x Corinthians, alambrado da arquibancada localizada atrás do gol da rua José de Alencar cedeu devido à absoluta superlotação. Cerca de 180 pessoas ficaram feridas. Muitos foram encaminhados para hospitais próximos ao estádio Urbano Caldeira, mas, por sorte, não houve vítimas fatais.