Weggis – O técnico Carlos Alberto Parreira pediu aos jogadores que não dêem entradas duras nos jogos amistosos ou treinos antes da Copa do Mundo, para se preservarem. A informação é de Adriano, um dos protagonistas do único desentendimento até agora no time brasileiro em sua fase de preparação para o Mundial.

Nos últimos dias, Edmilson, cortado ontem, e Adriano se estranharam nos treinamentos.

O volante entrou duro no atacante, que revidou.

A comissão técnica da CBF garante que a lesão de Edmilson não tem qualquer relação com as entradas de Adriano. O atacante, antes de saber do corte do volante, afirmou que o problema com Edmilson já havia sido superado. ?Todos querem mostrar que estão prontos?, disse Adriano.

Mas a realidade é que o temor de uma contusão, principalmente diante da chuva que afeta a região de Weggis nos últimos dias, está na mente de todos. Adriano confirmou que o técnico da seleção vem falando sobre o assunto com os jogadores. ?Parreira nos disse para ficar mais tranqüilos e treinar mais devagar para que ninguém se machuque?, disse o atacante da Inter de Milão.

Segundo Roberto Carlos, a orientação da comissão técnica é clara: tentar não dividir e não chegar junto para não afetar ninguém. ?A dividida é normal, mas nesse momento temos de tomar muito cuidado, pois estamos muito próximos da competição e uma contusão pode tirar alguém da Copa. Conversamos muito sobre isso?, disse o lateral.

Segundo o preparador físico da seleção, Moracy Sant?Anna, o frio que atinge a Europa nesta semana aumenta ainda mais a possibilidade de uma lesão. ?Por isso estamos fazendo um aquecimento e alongamentos mais intensificados?, explicou. ?Os jogadores são adultos o suficiente para saber até onde podem e devem ir nos treinos?, completou o preparador.

Mineiro foi convocado para o lugar do contundido Edmilson

O volante Mineiro, do São Paulo, foi apanhado de surpresa, ontem, pela convocação de Carlos Alberto Parreira para o lugar do contundido Edmilson, que sofreu uma lesão no joelho direito. O jogador iria acompanhar a Copa do Mundo em Porto Alegre. A esposa do jogador, Daiane da Silva, revelou que ele já tinha até comprado as passagens.

?Nós íamos ver o Mundial em Porto Alegre. Tínhamos até passagem comprada. Agora a viagem será para a Alemanha. Estou muito feliz?, falou Daiane.

Mineiro participou normalmente da partida de ontem à noite, no Morumbi, contra o Fluminense. Ele viaja hoje para a Suíça.

Felicidade

Em entrevista ao site oficial do São Paulo, o volante contou que soube da convocação na concentração do clube, no CT da Barra Funda, quando ia para o almoço. ?Não esperava, mas estou muito feliz?, disse o jogador, que admitiu ter ficado ?chateado? ao ter ficado de fora da lista original.

O jogador garantiu que não iria fugir das divididas no jogo contra o tricolor carioca, que poderia levar o São Paulo à liderança do Campeonato Brasileiro. ?Vai ser a mesma dedicação, empenho e vontade de vencer. Quero me despedir com uma boa vitória?, afirmou o jogador, que deve se juntar à seleção amanhã, em Weggis.

Solidariedade

Apesar da felicidade pela convocação do marido, a esposa de Mineiro se mostrou solidária a Edmilson. ?A gente sabe que deve ser muito difícil, mas espero que ele se recupere?, completou Daiane.

Volante gaúcho é chamado pela quinta vez

Carlos Luciano da Silva, o Mineiro, tem 30 anos. Gaúcho de Porto Alegre, nasceu em 2 de agosto de 1975, e seu primeiro clube profissional foi o Rio Branco, de Americana. De lá, passou pelo Guarani e chegou à Ponte Preta em 1998. Jogou pelo clube campineiro até o fim de 2002, quando se transferiu para o São Caetano.

No começo do ano passado, por indicação de Leão, foi contratado pelo São Paulo e se consagrou definitivamente ao marcar o gol do título do Mundial de Clubes, diante do Liverpool. Também em 2005, foi indicado pela CBF para a seleção do Brasileirão, mas perdeu o prêmio de melhor volante para Marcelo Mattos, do Corinthians.

Mineiro foi convocado quatro vezes para a seleção brasileira. No mandato de Parreira, ele só jogou uma partida: a vitória por 3 a 0 sobre a Guatemala, que marcou a despedida de Romário, em 27 de abril do ano passado. Naquele jogo, que contou apenas com atletas que atuam no país, ele atuou durante os 90 minutos.

Antes, Mineiro já havia disputado uma partida pela seleção, em 25 de abril de 2001, contra o Peru, pelas Eliminatórias (1 a 1). Convocado por Leão, quando ainda jogava pela Ponte Preta, ele entrou aos 34 do segundo tempo no lugar de Ricardinho.

As outras convocações foram para os jogos contra a Colômbia, dia 15 de novembro de 2000, no Morumbi, pelas Eliminatórias da Copa de 2002, e Uruguai, dia 30 de março de 2005, em Montevidéu, pelas Eliminatórias deste mundial. Mineiro ficou no banco em ambos.