Rio – O técnico da seleção brasileira de futebol, Carlos Alberto Parreira, desmentiu que tenha liberado sexo para os jogadores da seleção brasileira durante o Mundial da Alemanha.

Em nota divulgada no site da CBF, ontem, o treinador afirmou que as declarações atribuídas a ele não eram verdadeiras. ?(O treinador) se sente obrigado a afirmar que jamais tratou dessa questão (sexo) com o teor que está sendo incompreensivelmente noticiado?, explicou a CBF.

A polêmica questão sobre a pratica de sexo durante a Copa teria acontecido após uma entrevista de Parreira para a revista inglesa Maxim. O treinador teria dito que ?sexo antes de uma partida de futebol não traria problemas, pois é sempre bom?.

Comissão técnica

O treinador definiu, na última quarta-feira, os 17 nomes da comissão técnica. A novidade da lista foi o corte de um massagista para a entrada de um segundo fisioterapeuta, Odir Carmo, que participará de sua primeira Copa. O outro profissional é Luiz Alberto Rosan.

O receio com o estado físico dos jogadores foi o que motivou Parreira a aceitar a sugestão do médico da seleção José Luiz Runco. O departamento ainda contará com os médicos Serafim Borges e Rodrigo Lasmar, a exemplo do que ocorreu na Copa de 2002.

Os demais integrantes da comissão técnica serão o coordenador Zagallo, o supervisor Américo Faria, o auxiliar-técnico Jairo Leal, os preparadores físicos Moraci Sant?Anna e Paulo César Paixão, o preparador de goleiros Wendell Ramalho, o administrador Guilherme Ribeiro, o assessor de imprensa Rodrigo Paiva, o chefe de segurança Castelo Branco, os roupeiros Antônio Silva e Rogelson Barreto, além do massagista Deni Silva.