A inclusão nas Olimpíadas de 2008 foi negada, mas a participação do pára-quedismo nos Jogos Mundiais está garantida. A comissão executiva, que organiza a sétima edição do World Games, confirmou a presença.

Entre os dias 14 e 24 de julho de 2005, quatro modalidades do esporte aéreo serão destaque em Duisburg, na Alemanha. E mais uma modalidade pode ser incluída, a Canopy Piloting, sujeita à aprovação da Federação Internacional de Esportes Aéreos. Tendo em vista que a FAI deseja popularizar o esporte no mundo, a proposta deve ser aceita.

Além da participação nos Jogos Mundiais, a Federação desenvolve a terceira edição dos Jogos Aéreos, a ser realizada em 2005 – em seu 100º aniversário, e busca o reconhecimento da mídia, para que o paraquedismo seja aceito em breve nos Jogos Olímpicos.

A comissão olímpica recusou a inclusão para 2008, devido a falta de popularidade dos esportes aéreos pelo mundo.
Além disso, consta no regulamento olímpico que apenas esportes independentes de ajuda mecânica podem competir. Ou seja, os atletas devem realizar suas performances sem a ajuda de nenhum tipo de motor.

No caso do pára-quedismo, no entanto, o uso do avião é necessário apenas para levar os competidores ao ponto de largada da competição, no ar. Este argumento deixa em aberto as discussões para o ingresso do pára-quedismo nas competições olímpicas, já que a habilidade do piloto é fator decisivo nos vôos.

Enquanto isso, a FAI recorre aos Jogos Mundiais, realizados a cada quatro anos com o objetivo de popularizar os esportes que não constam na programação dos Jogos Olímpicos. Mais do que enfocar atletas específicos, a competição procura destacar as novas modalidades praticadas ao redor do mundo.

E-mail:

emaestro@uol.com.br