O Paraná Clube, ao longo de sua trajetória, é pródigo em revelar talentos nas categorias de base, como Ricardinho, Lúcio Flávio, Thiago Neves e Giuliano, entre tantos outros pratas-da-casa que foram bem aproveitados no time profissional. Nesta temporada, o técnico Wagner Lopes vai poder contar com alguns nomes que se destacaram na Copa São Paulo de Juniores deste ano.

O treinador já solicitou, de imediato, a “subida” de seis jogadores que estavam na disputa: o goleiro Hugo, o lateral-direito Dias, os volantes Jhony, que atuou como zagueiro na Copinha, e Gabriel Furtado, o meia Alesson e o atacante Rafael Furtado. Os gêmeos Furtado e Alesson têm apenas 17 anos, mas já foram aproveitados no profissional no ano passado e fizeram bonito na Copinha.

Apesar do potencial dos atletas, Lopes lembra que é preciso cautela. “Nós temos esperanças que eles aproveitem a oportunidade, sem queimar etapas, obviamente. Então é trabalhar com calma, colocar na hora certa, dar confiança e muito trabalho”, diz. O comandante lembra também que há um time profissional já em gestação. “Antes de valorizar quem pode chegar, eu preciso valorizar quem está conosco”, diz.

O técnico da equipe de juniores, Luciano Simm, diz que Lopes mostrou muito interesse na garotada ao longo da disputa no interior de São Paulo. “Ele sempre ligava após os jogos, mostrando interesse nos meninos”, disse. Simm diz que fez relatório do desempenho de todos os atletas e repassou ao colega. “Creio que o Guga e o Claudevan também devem subir logo ao profissional. Eles foram muito bem na Copinha”, acredita. A equipe paranista não seguiu na disputa por pouco. Ficou em 17º na classificação geral e perdeu a vaga por critério técnico só porque o Bragantino perdeu na última rodada.

O meia Alesson diz que a Copinha serviu para o amadurecimento dos atletas. “Mesmo com um grupo bem jovem, conseguimos encarar bem a competição”, diz. Para o atacante Rafael Furtado, destaque no ataque tricolor, a disputa serviu para dar confiança para o desafio no profissional. “Sabemos que o Paraná passa por um momento de reestruturação e queremos somar”, diz. O volante Gabriel, irmão gêmeo de Rafael, completa. “Vai ser importante fazermos um bom trabalho para mostrar a qualidade da base do clube”.