A medida do Ministério Público do Paraná de permitir apenas uma torcida no clássico entre Paraná Clube e Atlético, no último domingo, na Vila Capanema, “parece” não ter surtido efeito. Torcedores do Tricolor brigaram entre si no estacionamento do Estádio Durival de Britto e Silva.

A confusão ocorreu entre dois comandos da principal torcida organizada do clube, a Fúria Independente. A briga só foi interrompida quando o Bope chegou ao local, com bombas de efeito moral para dispersar o tumulto.

Entretanto, em questão de menos de dez minutos, a bagunça continuou na Rua Dr. João Skalski, em frente à sede da Fúria Independente. Novamente, a polícia teve trabalho para conter os ânimos exaltados dos torcedores.

Emboscada

As confusões não se limitaram aos arredores da Vila Capanema. Em outro vídeo, feito próximo ao Terminal do Capão da Imbuia, torcedores do Atlético esperavam os paranistas que vinham em um ônibus biarticulado e armaram uma “tocaia”. Com fogos de artifícios e pedras, os atleticanos atacaram os rivais, que também revidaram.

O veículo ficou destruído. Passageiros relataram que foram avisados de que haveria confusão próximo ao terminal.

Em entrevista ao Uol, o MP destacou que “fica reforçada a ideia que torcidas não conseguem conviver em harmonia, fato que apenas justifica a proposta de que elas não podem participar do mesmo evento, conjuntamente”. O Ministério Público do Paraná destacou ainda que não houve confronto na Vila Capanema.