Sábado (13). 23h22. Claudinei Oliveira vai à entrevista coletiva após mais uma derrota do Paraná Clube no Brasileirão. O algoz da vez era o Bahia, uma das equipes com pior campanha no returno da competição. Irritado? Não. O treinador já parecia conformado com mais um tropeço do Tricolor na Série A. Um revés que não rebaixou o time para a Segundona, mas, que, praticamente, sela o retorno do Paraná para o grupo do segundo escalão.

Porém, o que mais chamou a atenção nas declarações de Claudinei Oliveira foi um pedido especial: a diretoria do Paraná deveria definir o seu futuro nesta semana. Bastaram três dias para que o técnico e o clube definissem. O treinador encerrou a sua terceira passagem pelo Tricolor com míseros 9% de aproveitamento – foram cerca de dois meses no comando do grupo, com a pífia campanha de três empates e oito derrotas.

+ Leia mais: Paraná Clube mantém rotina de mudanças de técnico

“É uma decisão já pensando no futuro. A diretoria entendeu a situação e me liberou. Agradeço ao presidente Leonardo de Oliveira e ao gerente Marcos Oliveira por todo o empenho que tiveram nesta minha nova passagem pelo Paraná”, disse o treinador, ao site oficial do Paraná. No domingo, contra o Flamengo, a tendência é que o ex-jogador Lúcio Flávio, atual auxiliar técnico, comande a equipe.

O destino de Claudinei Oliveira é a Chapecoense. Por incrível que pareça, é mais um clube a brigar contra o rebaixamento na linha de frente do técnico. Antes de se transferir para o Paraná, ele já havia deixado o Sport após uma sequência de oito jogos sem saber o que é vencer. Ou seja, o treinador corre o risco de ser “triplamente rebaixado” ainda nesta temporada. A vantagem é que na Chape o comandante terá uma briga mais “tranquila”, afinal, o clube catarinense está a apenas um ponto de distância do Vitória, primeiro time fora da zona da degola.

E agora?

Na Vila Capanema, o principal nome na mira da diretoria é o de Claudio Tencati. Nome histórico do futebol paranaense, o técnico está sem clube desde a última semana, quando acabou sendo demitido do Atlético-GO, mesmo com o clube goiano estando próximo do G4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Em 42 jogos no comando do Dragão, Tencati conseguiu 16 vitórias, 13 empates e 13 derrotas. Um trabalho “rápido” para os padrões do treinador.

+ Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

Claudio Tencati fez história no comando do Londrina ao comandar a equipe por sete temporadas e chegar a ser o técnico a mais tempo em um clube de futebol profissional no Brasil. Ele levou o LEC da Divisão de Acesso do Paranaense para a Primeira Divisão. E muito mais. De um Londrina desacreditado e sem divisão no futebol nacional a um Tubarão forte na Série B, chegando a ser candidato ao acesso à elite.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!