Uma manhã fria e de pouco futebol. Neste sábado (24), o Paraná Clube mais uma vez ficou devendo e ficou no 0x0 com o Criciúma, na Vila Capanema. O resultado aumenta o jejum de resultados – agora são sete partidas sem vencer – e mantém o Tricolor em uma situação apenas intermediária na Série B do Campeonato Brasileiro.

+ Confira como foi o jogo no nosso Tempo Real!

Com dois times pressionados em campo, seria natural ver uma partida tensa, com a bola queimando o pé dos jogadores. Apesar disso, Alesson logo criou a primeira oportunidade, chutando de longe e obrigando Luiz a fazer boa intervenção. Mas foi um momento de exceção numa regra de erros de passe e nervosismo.

Rafael Furtado sofreu um pênalti não marcado no primeiro tempo. Foto: Felipe Rosa
Rafael Furtado sofreu um pênalti não marcado no primeiro tempo. Foto: Felipe Rosa

O Criciúma era mais eficiente na marcação. Adiantava as linhas (como os técnicos adoram falar) e impunham muita dificuldade na saída de jogo paranista. Estava complicado para que a bola chegasse a João Pedro e Bruno Rodrigues. Mas também nao havia ameaça à defesa tricolor. Os visitantes deixavam muito clara a razão de estar a Série B inteira na briga para fugir do rebaixamento.

Na oportunidade clara que os catarinenses tiveram, Thiago Rodrigues foi bem. Reinaldo recebeu entre os zagueiros e tentou tirar do goleiro, o camisa 1 do Paraná saiu na jogada e defendeu. Só que era aquela história: a bola estava rondando demais a área tricolor, a defesa se complicava e nisso o risco poderia aumentar.

O Paraná reclamou muito aos 34 minutos, quando Rafael Furtado recebeu na entrada da área, passou por Derlan e foi derrubado. Pênalti não marcado para o Tricolor. O lance deu uma animada no time, que passou a ser mais agressivo no ataque.

O jogo passou a ser disputado no campo de defesa do Tigre, principalmente por conta da participação maior de João Pedro e Alesson. Mas o primeiro tempo terminou com outra pressão do Criciúma, com a boa chegada de Foguinho como elemento surpresa e de muito trabalho para a defesa paranista.

A etapa final começou em ritmo lento. Mas lento mesmo. O Paraná tentava pressionar, mas errava muito. Sintoma da má fase técnica de alguns jogadores muito importantes, como João Pedro, Itaqui e Bruno Rodrigues. Até mesmo Guilherme Santos, o mais regular na temporada, não jogava bem. A opção de Matheus Costa foi sacar Alesson e João Pedro para colocar Rodrigo Porto e Jenison.

+ Confira a tabela e a classificação da Série B

O Tricolor ficou bem mais agressivo, e partiu definitivamente para cima com a expulsão de Caíque aos 32 minutos. Só que era uma pressão desorganizada, e assim pouco foi criado – a melhor chance foi em um chute forte de Jenison que foi defendido por Luiz. Ainda teve outro pênalti não marcada a favor dos donos da casa, no cruzamento de Rafael Furtado que parou no braço de Thales. E num ambiente melancólico, o jogo terminou e manteve a tensão no ar na Vila Capanema.

Ficha técnica

SÉRIE B
1º Turno – 18ª Rodada

PARANÁ CLUBE 0x0 CRICIÚMA

Paraná
Thiago Rodrigues; Éder Sciola, Leandro Almeida, Rodolfo e Guilherme Santos; Luiz Otávio, Itaqui (Jhemerson) e João Pedro (Rodrigo Porto); Alesson (Jenison), Bruno Rodrigues e Rafael Furtado.
Técnico: Matheus Costa

Criciúma
Luiz; Maicon, Derlan, Thales e Caíque; Eduardo, Foguinho, Wesley e Daniel Costa (Carlos Eduardo); Reinaldo (Julimar) e Léo Gamalho (Pedro Bortoluzo).
Técnico: Wilsão

Local: Durival Britto
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Edson Antônio de Sousa (GO)
Cartões amarelos: Rodolfo, Jhemerson (PR); Caíque, Eduardo, Reinaldo, Léo Gamalho, Thales (CRI)
Cartão vermelho: Caíque
Renda: R$ 41.165,00
Público pagante: 2.121
Público total: 2.526