O Paraná Clube encerrou a Série B de 2019 com 36 jogadores utilizados pelo técnico Matheus Costa, que não fica para 2020. O elenco paranista era formado por 41 atletas. Esse é o menor número de jogadores utilizados desde 2013.

Apesar de reduzido, dos 36 atletas, poucos convenceram. A defesa foi o ponto forte do time na competição, com a quarta zaga menos vazada: 33 gols sofridos em 38 partidas. O time, por exemplo, não sofreu gols em 17 confrontos, quase metade da segunda divisão.

+ IMPERDÍVEL: Confira o podcast De Letra sobre os artilheiros do Trio de Ferro!

O ataque, por outro lado, foi uma decepção. O Tricolor fez apenas 34 gols, com o 13º desempenho entre os 20 participantes. Em casa, a torcida viu só 15 gols e dez empates. O desempenho de 54,4% como mandante e o fraco poderio ofensivo foram motivos para ficar no caminho do acesso.

A Tribuna fez um levantamento e avaliou quem foi aprovado, quem pode melhorar e quem não fará falta no Paraná. Confira:

Aprovados:

Thiago Rodrigues
A unanimidade é o goleiro capitão. Thiago Rodrigues atuou em 33 jogos da segunda divisão e foi o grande nome da equipe na temporada, com boas defesas, segurança e também liderança dentro e fora de campo. Tem contrato.

Éder Sciola
Contratado junto ao Brasil-RS, o lateral-direito tem 33 jogos como titular e um vindo do banco. Ele teve um bom comportamento defensivo e ainda deu seis assistências, atrás apenas de Guilherme Santos. Tem contrato.

Éder Sciola teve boa participação na temporada. Foto: Albari Rosa.

Guilherme Santos

O lateral-esquerdo foi o atleta que mais atuou com a camisa paranista, com 36 jogos. Ele foi o líder de assistências do clube na Série B, com sete passes para gol. O atleta, porém, já admitiu que não fica ano que vem.

Leandro Almeida e Rodolfo

A dupla de zaga paranista, como os números mostram, desempenhou bem a função de proteger a meta do goleiro. Almeida, que chegou desconfiado, surpreendeu nas 23 partidas que fez e realizou um bom torneio. No sistema defensivo, Rodolfo atuou em 34 jogos e tem vínculo, enquanto Leandro Almeida encerra neste ano e deve procurar outro clube por opção.

Fernando Neto

Após ter sua titularidade postergada, o meio-campista melhorou a transição do meio-campo para o ataque e ainda fez três gols em 28 jogos. Com salário acima do padrão paranista, ele retorna ao Fluminense e tem mercado em outras equipes.

Fernando Neto se destacou, mas retorna ao Fluminense. Foto: Hedeson Alves.


Matheus Anjos e Vitinho

Os meias, quando estiveram em campo, demonstraram inteligência e qualidade técnica ao setor de criação, com duas assistências cada e lances de habilidade. Anjos volta de empréstimo ao Athletico, enquanto Vitinho interessa ao Paraná por considerar que teve retorno e tem um salário compatível.

Bruno Rodrigues

O atacante foi a válvula de escape do time em muitas das 28 partidas que atuou, ao lado de Guilherme Santos, pelo lado esquerdo. Forte no 1×1, ele precisa melhorar as tomadas de decisão, seja para passar ou finalizar. Deu duas assistências e marcou três gols. O jogador anunciou que não retorna ao Athletico, mas também não fica no Tricolor.

Bruno Rodrigues foi bem, mas não fica pra próxima temporada. Foto: Átila Alberti.

Jenison
Artilheiro da temporada, o centroavante marcou 17 vezes, sendo nove na Série B. O jogador, contudo, ficou marcado por gols perdidos e por ter chamado o clube de “trampolim”. Quando esquece as polêmicas, como ativar “modo Jenigol”, se mostra útil ao time. Tem contrato.

Pode melhorar

Luiz Otávio
O volante ficou de fora de apenas um jogo da Série B, mas nunca convenceu. Fez somente um gol e não se destacava em desarmes e nem em construção de jogadas.

Fabrício

Envolvido em imbróglio até ser oficializado, o jogador fez apenas três jogos e foi bem. Com sequência pode ser útil na temporada seguinte. Ele possui contrato até o Estadual, mas não recebeu nenhum salário desde que chegou, em agosto.

Jhemerson

Sumido do elenco, ele reapareceu na reta final da Série B e demonstrou certa qualidade no meio-campo, em nove oportunidades. Tem contrato e pode ser melhor aproveitado.

Jhemerson tem contrato e pode ser melhor aproveitado em 2020. Foto: André Rodrigues.



Rafael Furtado

Aposta da base, o centroavante teve poucas oportunidades, com oito partidas, mas não foi eficiente quando teve chances de gol. O jovem atacante tem mais um ano para mostrar seu valor.

Não fará falta

Matheus Lopes, Guilherme Nunes, Rodrigo e Marquinhos
Sequer vestiram a camisa do Paraná na temporada. O zagueiro ficou o ano todo entre banco de reservas e sequer sendo relacionado, enquanto os meio-campistas chegaram durante a Série B e não tiveram oportunidade. Já Marquinhos fez um jogo só.

Eduardo Bauermann

O zagueiro começou acima da média da competição, perdeu posição após negociação frustrada para a Bélgica e caiu muito de rendimento. Também não fica.

Eduardo Bauermann caiu de produção e não fica no clube. Foto: Albari Rosa.



Sueliton

O lateral-direito jogou apenas seis vezes na temporada, com metade delas na segunda divisão. Fez um gol, mas nunca conseguiu se firmar no time.

Alejandro Márquez

Um dos maiores salários do elenco, o volante chileno jogou somente duas vezes em 2019 e sequer entrou em campo pela Série B.