E o que o Paraná Clube passou esta segunda-feira (25) negando se confirmou. Sete jogadores foram dispensados, entre eles o lateral-direito Nei, que teve seu destino definido depois da forte pressão da torcida sobre a diretoria. Mesmo com o diretor de futebol Durval Lara Ribeiro escondendo o jogo, a assessoria de imprensa confirmou a saída dos atletas, na primeira “barca” tricolor na temporada. Além de Nei, saíram os também laterais Dick, Elson e Elivelton, os meias Eliton e Lucas Pará e o atacante Toni. Os laterais Elson e Elivelton voltam para a categoria de base.

A saída de Nei foi turbulenta. Desde o jogo de ida das semifinais do Paranaense, contra o Atlético, na Arena da Baixada, a torcida tricolor reclamou das atitudes do lateral. Ele foi aplaudido por torcedores rubro-negros e retribuiu os aplausos. Na partida deste domingo (24), na Vila Capanema, a cena se repetiu, e para piorar ele perdeu um dos pênaltis que fizeram o Tricolor ser eliminado do Estadual.

Ainda no vestiário, Vavá Ribeiro foi cobrado para que dispensasse o jogador. Segundo o jornalista Guilherme Moreira, a demissão aconteceu ainda no domingo. Mas nesta segunda a assessoria e o próprio dirigente desmentiram com veemência. “Ninguém foi dispensado no vestiário no Paraná Clube, não trabalhos desta forma. Qualquer especulação contrária é mentirosa”, disse Vavá. No final, não foi nada mentirosa a notícia.

Nei deixa o clube como titular, abrindo definitivamente caminho para a efetivação de Diego Tavares. Contribui também para isso a saída de Dick, que não foi bem no Tricolor. Os laterais-esquerdos Elson e Elivelton foram preteridos pelo técnico Claudinei Oliveira durante o Estadual. Eliton mal estreou, e Toni foi uma das decepções do Paranaense. A surpresa ficou pela saída de Lucas Pará, jogador da base e que vinha em evolução.

O Paraná deve anunciar a partir desta terça (26) várias contratações. A mais relevante por ora é a de Tomas, destaque do J. Malucelli no Paranaense e que jogou a última Série B pelo Botafogo.