enkontra.com
Fechar busca

Paraná Clube

Paraná Clube

Paraná Clube

Rompimento

Briga judicial entre Paraná Clube e Carlos Werner tem outro capítulo

Antes principal investidor do clube e agora em rota de colisão com a diretoria, Werner tem vitória na Justiça contra o Paraná

  • Por Guilherme Moreira
Foto: Jonathan Campos.

Ex-mecenas, Carlos Werner teve uma vitória importante contra o Paraná Clube na última quarta-feira (13), em processo na 15ª Câmara Cível. O empresário cobra dívidas, reconhecidas pelo Tricolor, na Justiça e tem o CT Ninho da Gralha, em Quatro Barras, como garantia do pagamento.

Atualmente, o débito dessa ação é de R$ 3,5 milhões, sem correção, de uma confissão de dívida, não detalhada. Ainda há outro processo dele na 5ª Vara Cível, que ultrapassa os R$ 12 milhões por empréstimos feitos e não cumpridos em acordo. Ambos em caráter de execução em cima do CT.

+ Confira: Veja a provável escalação do Paraná para o jogo contra o Rio Branco

A decisão desta semana ainda não foi publicada, mas tem caráter definitivo. A única discussão é de que forma ocorrerá o pagamento. O Tricolor, que nem contestou o débito, tem o direito de recorrer, mas a Justiça pode, inclusive, colocar o Centro de Treinamento em leilão, caso Werner não tenha interesse de ficar com o terreno até uma decisão final. Outra hipótese, como era acordado anteriormente, é dele aceitar o CT e emprestar para o uso das categorias de base e do profissional do clube com objetivo de não “expulsá-los” de sua casa.

+ Novidade: Recém-contratado, Alisson diz querer entrar pra história do Tricolor

O imóvel, aliás, já tinha sido repassado ao investidor paranista com aprovação de todos os Conselhos do clube, mas o departamento jurídico mudou de posição. A diretoria queria liberar o imóvel e usar a manobra de colocar o débito no Ato Trabalhista, que tem a finalidade de destinar 20% da arrecadação total para quitar dívidas na Justiça, enquanto os 80% restantes ficam a cargo do clube, com fiscalização judicial e tendo o presidente Leonardo Oliveira como administrador, com salário de R$ 25 mil mensais. Dessa forma, a pendência entraria no final da fila e poderia prorrogar o pagamento.

+ Números: Paraná tem melhor sequencia de jogos desde 2017

Os processos na 5ª e 15ª Câmara Cível têm como execução o CT do Paraná. Werner ainda tem mais cinco ações contra o clube, que tentam penhorar a entrada da cota de TV para a Série B, que ficará entre R$ 6 e R$ 7 milhões. O Tricolor ganhou R$ 1,15 mi pela participação e classificação na primeira fase da Copa do Brasil, além de R$ 600 mil do Campeonato Paranaense. Os valores da cota, entretanto, estão sendo direcionados para pagamentos diretos no Ato e são mais complicados de serem recebidos pelo ex-investidor. Por outro lado, existe uma remota possibilidade da Justiça destinar um determinado percentual dessa quantia financeira para esses outros processos com Werner.

+ Confira a classificação e a tabela de jogos da Taça Dirceu Krüger

Dessa forma, o Tricolor está em uma posição complicada e outros ações cíveis tendem a seguir o mesmo caminho. A decisão de não incluir o processo do ex-mecenas no Ato abrirá um precedente para que as outras questões cíveis tomem o mesmo rumo na Justiça. Com isso, a direção paranista terá que usar outros patrimônios, como a sede social da Kennedy, como garantia de pagamento. Vale lembrar que o Paraná vendeu o terreno do Britânia, um dos clubes de sua origem, que atualmente abriga um supermercado, e as sedes sociais do Tarumã e do Boqueirão foram a leilão.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

155 Comentários em "Briga judicial entre Paraná Clube e Carlos Werner tem outro capítulo"


Nilton César
Nilton César
3 meses 9 dias atrás

Desliga os tubos, o futebol por aquelas bandas morreu junto com o ferroviário, o que veio depois é um zumbi que fica por aí só perturbando.

Ricardo Soares
Ricardo Soares
3 meses 9 dias atrás

FERROVIARIO.

Barbosa Sincero
Barbosa Sincero
3 meses 9 dias atrás

Time vai ficar sem a kombi….ferrrou!

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
3 meses 9 dias atrás

vai sobrar só a fusão com as paquitas.. protork dona do timeco já autorizou

Rafael Pilha
Rafael Pilha
3 meses 9 dias atrás

15,5 milhões , nem se Paraná vender até as cuecas conseguirá pagar.

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
3 meses 9 dias atrás

kkkkkkkkkkkkk a claudinha fake news falou tanto no ”capa preta” que ele esta batendo na porta do paralixo…

a única coisa que vai sobrar é o estadio que pertence ao governo federal….

o resto já era

Cláudio
Cláudio
3 meses 9 dias atrás

Mas lá tem patrimônio pra pagar.

Flavio Steiner
Flavio Steiner
3 meses 9 dias atrás

Fecha logo. Encerra o assunto. Curitiba nunca teve e nunca terá espaço pra mais de um clube. Mal tem pra um.

Ricardo Soares
Ricardo Soares
3 meses 8 dias atrás

Um, no caso, o teu time ?

Cláudio
Cláudio
3 meses 9 dias atrás

Respeite o chão que pisa.

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
3 meses 9 dias atrás

exatamente… deixa somente quem disputa campeonatos de expressão… o resto que vá disputar a suburbana….

Ricardo Soares
Ricardo Soares
3 meses 8 dias atrás

O mundo vai meio mal, mas ainda nao acabou… Nao se precipite.

Willi Teacher
Willi Teacher
3 meses 9 dias atrás

Concordo. Acaba com os clubes oriundo de fusão. São clubes sem identidade mesmo.

Gerson Cardoso
Gerson Cardoso
3 meses 9 dias atrás

Exceto aqueles que são campeões sul americanos,disputam libertadores,são reconhecidos internacionalmente,série A….e tem aqueles que nunca fizeram fusão,nunca ganham nada,vivem na série B,ninguém conhece,ah mas ganham campeonato de bairro!!isso é identidade!sao conhecidos até o atuba!!kkkk

Cláudio
Cláudio
3 meses 9 dias atrás

O pioneiro em fusões seria o primeiro a sumir?
Pior que se ele sumir, some junto uma parte da história coxa.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas