Promessa entre os jogadores da nova safra da base do Paraná Clube, o atacante Andrey, de 18 anos, está muito abalado devido às inúmeras ameaças, inclusive de morte a ele e sua família, que vem recebendo. A intimidação ao atleta por parte de diversos torcedores está acontecendo desde a semana passada após o vazamento de uma foto do jogador com a camisa do Athletico quando tinha 11 anos.

O atleta recebeu em suas redes sociais e em seu WhatsApp mais de mil mensagens ofensivas – algumas delas com ameaças para ele e para sua família. Assustado com a repercussão, o jogador levou a situação à diretoria do Tricolor, que optou por deixa-lo de fora da partida diante do Cascavel CR a fim de preservá-lo.

+ Leia também: Torcedores querem acompanhar reunião que define futuro da sede da Kennedy

Ao final da partida, em que o Paraná goleou por 4×1, o técnico Dado Cavalcanti falou sobre a ausência do atleta. “O Andrey é um ativo do clube, além de ser um jogador por quem eu tenho um carinho muito especial. Eu tenho esse apego em relação aos jogadores mais jovens, então sou sempre muito mais cuidadoso ao tomar algumas decisões com esses atletas. Tivemos uma conversa pós-jogo do Rio Branco e decidimos que era necessário ter mais cuidado com o Andrey, que é cria nossa”, falou o comandante, mas não citando o motivo da decisão. Dado usou o termo ‘decisão administrativa’ para explicar o afastamento de Andrey.

A Tribuna do Paraná conversou com um representante do jogador, que preferiu não ser identificado para evitar qualquer represália da torcida. O porta-voz destacou que Andrey está muito triste por tudo que está acontecendo e que defende as cores do Paraná Clube com muito amor.

+ Mais na Tribuna: Conheça os candidatos à presidência da FPF!

“As pessoas precisam ter responsabilidade com o que postam e o que comentam nas redes sociais. Não é brincadeira ameaçar a vida de alguém. O Andrey veio de uma condição de vida muito humilde e sequer tinha o que comer ou vestir é uma injustiça e é irresponsabilidade julgá-lo por uma foto dele com 11 anos. Ninguém sabe como era a vida dele e nem como é ainda hoje”, destacou.

Além de compartilhar uma foto do jogador, ainda criança, com a camisa atleticana, o perfil PR Mil Grau compartilhou posts antigos do jogador que tinham relação ao Rubro-Negro, como sobre a convocação do goleiro Weverton, ex-Furacão, para a seleção brasileira. “O Andrey veio do futebol amador e o Paraná é o primeiro clube em que ele atua profissionalmente. E ele é muito grato por isso. Está se esforçando ao máximo para ajudar a equipe. Ele quer o melhor para o time”, explicou o porta-voz.

+ Confira a classificação completa e a tabela de jogos da Taça Dirceu Krüger

Os representantes do jogador não informaram se tomaram medidas jurídicas em relação aos agressores. O jogador voltou a treinar com o grupo nesta segunda-feira (25), e a tendência é que ele volte a integrar o elenco na partida contra o Coritiba, que acontece no próximo domingo (31).

Turbulências

Na semana passada, um grupo de torcedores invadiu o Centro de Treinamento Ninho da Gralha para tirar satisfação dos jogadores. O descontentamento que motivou a invasão foi o desligamento do ex-gerente de futebol tricolor, Marcos Oliveira, que optou por sair do clube após falar que uma série de decisões erradas são tomadas diariamente dentro do Paraná Clube. Além disso, a campanha ruim do time na temporada – dando continuidade aos péssimos resultados de 2018 – com a eliminação na Copa do Brasil para o Londrina, a não classificação da equipe para as fases finais do primeiro turno do Campeonato Paranaense e as derrotas para Rio Branco e Cianorte deixaram a torcida na bronca.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!