Arquivo
É mais uma ação do vice de marketing, Marcelo Romaniewicz.

O Paraná Clube pretende aderir nos próximos dias à nova onda do futebol brasileiro: o sócio torcedor. Durante muito tempo o clube relutou em seguir esse caminho, temendo a migração dos sócios olímpicos para essa nova modalidade, gerando um esvaziamento nas sedes sociais do clube.

Mas o sucesso da dupla gre-nal no Rio Grande do Sul e os intensos apelos dos freqüentadores assíduos da Vila Capanema fizeram a diretoria rever sua posição, agora sustentada por uma pesquisa minuciosa sobre a presença dos sócios do clube no Durival Britto, ao longo dos anos.

Constatou-se que nos borderôs, a presença dos sócios é inferior a 15% do total de público, o que abriu caminho para o departamento de marketing partir para essa nova campanha, do Sócio Sempre Paraná. O assunto está sendo tratado intramuros, mas toda a infra-estrutura vem sendo implementada há semanas, em uma sala localizada no próprio estádio, no setor da reta do relógio, com a instalação de telefones, computadores e treinamento de pessoal. Os valores estão sendo ainda estabelecidos, mas é certo que haverá modalidades distintas, de acordo com a setorização do Estádio Durival Britto.

O objetivo da campanha é garantir uma receita mensal fixa em relação às arrecadações, o que garantiria uma maior sustentação financeira para os desafios que o clube têm pela frente. O presidente Aurival Correia já comentou anteriormente que ao longo da Série B, a presença do torcedor será decisiva não apenas no apoio ao time. ?Perdemos receitas significativas em relação ao ano passado. As arrecadações terão, nesta temporada, um peso muito maior?, destacou o presidente. Só no que diz respeito às cotas de tevê, o Paraná deixa de faturar cerca de R$ 3 milhões em relação ao ano passado.

O ?desastre? só não se consumou porque a presença do Corinthians na Série B determinou um aumento de aproximadamente 250% nas cotas destinadas aos clubes da Segundona. Com a campanha Sócio Sempre Paraná, mais uma ação do vice de marketing Marcelo Romaniewicz, o clube pode estabelecer um novo faturamento fixo por mês. Na curva norte, por exemplo, o torcedor vai pagar R$ 19,90, com acesso livre a todos os jogos do clube, no Durival Britto. Hoje, um ingresso para apenas um jogo custa R$ 15.

Nesse novo modelo, a ser anunciado nos próximos dias, o Paraná também deve dar uma bonificação aos atuais associados do clube, que passariam a ter livre acesso à curva norte. Nos demais setores do estádio – reta do relógio, sociais, cadeiras e camarotes (para proprietários) – será mantido o atual sistema, com o sócio tendo direito a pagar meio-ingresso. O sucesso da campanha Sócio Sempre Paraná também pode representar um aumento significativo na média de público do Tricolor. Mesmo tendo um estádio com capacidade para 17 mil lugares (sendo 2 mil destes para torcida visitante), o clube só conseguiu levar bom público em quatro jogos neste ano.