Marquinhos volta à equipe
para dar criatividade ao meio.

O “suspense” também faz parte do jogo. O técnico Saulo de Freitas preferiu manter uma dúvida no meio-de-campo do Paraná Clube, que enfrenta amanhã -às 16 horas, em Porto Alegre – o “lanterna” do Brasileirão. A escolha por Éverton ou Émerson irá também definir a postura da equipe no duelo frente ao Grêmio. As duas opções foram testadas e, independente da escolha final, o Tricolor foi preparado para conter a pressão inicial do time de Adílson Batista.

“Acredito que o Grêmio terá uma postura extremamente ofensiva, tentando definir o jogo nos primeiros minutos”, afirmou Saulo. A melhor saída, segundo o treinador paranista, é marcar forte, com extrema atenção nos quinze minutos iniciais, para equilibrar as ações. Não fosse a ausência de Fernandinho, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o Tricolor teria sua força máxima para esta partida, com as voltas do volante Fernando Miguel e do meia Marquinhos.

Sem outro jogador com o perfil de Fernandinho no elenco, Saulo restringiu suas opções a Éverton e Émerson. No coletivo de ontem à tarde, Éverton começou entre os titulares. Mesmo tendo algumas características parecidas com as de Fernandinho, ele é mais veloz e ofensivo. Seria, se confirmado, a primeira oportunidade de Éverton para iniciar uma partida.

“Entrei em vários jogos, mas não como titular. O jeito é ficar na expectativa e esperar a definição do Saulo”, disse o jogador de 21 anos, há quase dois no elenco principal. Foram 30 minutos de atividade com Éverton no time. “Num jogo como esse, é preciso ter tranqüilidade. Jogar com cautela, mas agredindo para não tomar sufoco”, acredita.

A outra alternativa, tornaria o time mais compacto. Émerson é volante de origem, mas atua também como meia, pois possui um toque qualificado e boa aproximação para chutes de média distância. Nos 20 minutos finais ele formou o meio-de-campo ao lado de Fernando Miguel, Pierre e Marquinhos. “O Émerson é experiente e dá uma boa cadência ao time”, ponderou Saulo.

O treinador já avisou que só anunciará quem será escalado momentos antes do jogo. “Não tem a ver com o fato do Adílson conhecer o grupo. Quero pensar um pouco mais sobre a melhor alternativa para este jogo”. O zagueiro Cristiano Ávalos foi poupado do coletivo e deu lugar a Fernando Lombardi. Ávalos sofreu um trauma na região lombar durante o treino da manhã, mas não corre o risco de ser vetado.

Tricolor terá dupla artilheira

Com a volta de Marquinhos, o Paraná coloca em campo a sua “artilharia pesada”. Ele e Renaldo são responsáveis por 52% dos gols do Tricolor, terceiro ataque mais positivo do Brasileirão. Marquinhos é hoje o principal articulador da equipe e fica evidente a queda de rendimento quando ele não joga. O meia prevê um jogo muito difícil, onde o relaxamento será fatal.

“Não é fácil pegar um time ameaçado pelo rebaixamento. Falo isso porque já vivi situação parecida no Flamengo, ano passado”, comentou Marquinhos. “O Paraná também esteve a perigo e saiu com muita luta. É esse espírito que o Grêmio vai levar a campo e nós temos que, no mínimo, igualar na disposição”. O meia sabe que a pressão será intensa, com a torcida fazendo a sua parte na arquibancada do Olímpico.

“A tensão do adversário só é favorável se tivermos inteligência para jogar. Num jogo assim, se formos morosos, passamos vergonha”, alerta. Com 14 gols, Marquinhos diz ter como meta terminar o Brasileirão como o meia com o maior número de gols na competição. Como a artilharia está centralizada nos atacantes Luís Fabiano, Dimba e Renaldo, o objetivo de Marquinhos é superar Alex, do Cruzeiro, que já fez 15 gols.

“Estou logo atrás e a minha disputa é com ele, não com o Renaldo”, comentou. “O time está bem e essa seqüência invicta nos dá tranqüilidade. O trabalho é bom e o resultado são os gols e as vitórias”, comentou. O trabalho de Marquinhos já despertou o interesse dos alemães e ele terá que se apresentar ao Bayer Leverkhusen, clube que detém seus direitos federativos, no dia 2 de janeiro.