O Paraná Clube tenta mostrar a partir de hoje, às 20h30, no Moisés Lucarelli, que ainda é possível sonhar com o acesso. O time de Guilherme Macuglia encara a vice-líder Ponte Preta, precisando dos 3 pontos para encurtar a distância para o G4 e, assim, manter o grupo mobilizado para a reta final da Série B.

O técnico Guilherme Macuglia mais uma vez é obrigado a mexer o time, desta vez priorizando a condição física. “Vamos procurar escalar aqueles que estão melhor preparados. Nas últimas partidas, entramos em campo já sabendo que mudanças seriam necessárias, pois alguns jogadores não suportariam os 90 minutos”, analisou o treinador.

Para o jogo desta noite, por exemplo, Macuglia sequer relacionou o volante Cambará e o atacante Igor. “Preferi dar uns dez dias de trabalho forte para esses jogadores. Assim, espero contar com ambos diante do São Caetano”, justificou. Também a questão física deverá determinar a opção do treinador por uma modificação no ataque. Como Ricardinho ainda não está na condição ideal para suportar o jogo inteiro, deverá ir para o banco de reservas, com o deslocamento de Packer para o setor ofensivo. Além da mudança no ataque, o Paraná terá ainda a presença de Maycon Freitas no meio-campo. Ele substitui Sílvio, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Macuglia comandou o Paraná em oito jogos, até aqui. Mesmo com muitos empates (foram quatro), ele comemora o fato do Tricolor ter sofrido somente um revés nesta série de jogos -3×1 para o Icasa, em Juazeiro do Norte. Se o desempenho não foi suficiente para recolocar o Tricolor na condição de favorito ao acesso, ao menos Macuglia conseguiu manter o time à uma distância segura da zona do rebaixamento. Na prática, o Paraná precisa de mais uma vitória para chegar aos 47 pontos – número mágico para a permanência na Segundona.

Ainda buscando “oxigênio” nesse momento de definição da Série B, o Paraná terá que quebrar um incômodo jejum. Até aqui, em nove jogos contra clubes paulistas, o time não venceu uma vez sequer. Foram três empates e seis derrotas. “É claro que este número incomoda. Acho que é uma questão de tabela, de momento. Mas, vamos mudar essa história”, disse Macuglia. Até o fim do ano, o Tricolor faz mais cinco jogos contra times de São Paulo.