Ricardo Nogueira / Futura Press
Messias tenta segurar Marcinho, sem
sucesso. O Santos está classificado.

O sonho de uma participação expressiva em competição internacional durou apenas dois jogos.

O Paraná Clube não conseguiu sequer sustentar o empate – resultado que lhe garantiria classificação à segunda fase – e deu adeus à Copa Sul-Americana ao ser goleado pelo Santos (3×0), ontem à tarde, na Vila Belmiro. Mais uma vez ficou evidenciada a inconstância da equipe, que não conseguiu reeditar a boa performance que tivera frente ao Cruzeiro, pelo campeonato brasileiro.

O Paraná não consegue dois resultados positivos em seqüência desde o término do Campeonato Paranaense – quando venceu cinco jogos consecutivos, mas no “torneio da morte”. O técnico Paulo Campos creditou o revés ao mau primeiro tempo e aos deslizes cometidos em dois lances de bola parada. O Santos precisou apenas de dois titulares para derrubar a defensiva paranista e construir o resultado que lhe garantiu a classificação para a próxima etapa, onde enfrentará o Flamengo, novamente em jogos eliminatórios.

A vaga à Sul-Americana -conquistada a duras penas no ano passado (quando o Paraná conseguiu sua melhor campanha em campeonatos brasileiros) – “escorreu entre os dedos” do Tricolor, que agora volta à dura realidade do Brasileirão. Restou ao time paranaense focar os 18 jogos restantes, onde decidirá sua permanência na primeira divisão nacional. Será um feito, ante as visíveis carências do grupo. Como a partir da próxima semana não haverá mais rodadas intermediárias, o grupo terá mais tempo para se preparar para as sucessivas “decisões”.

A história recente se repetiu. O Paraná já havia tido postura semelhante após as vitórias sobre Vitória e Santos (ainda na “era” Gílson Kleina). Não conseguiu sustentar o bom momento e perdeu as partidas subseqüentes. Desta vez, motivado pela expressiva goleada sobre o Cruzeiro, esperava-se um time combativo para ao menos arrancar um empate. Não foi o que aconteceu.

O time cedeu à maior mobilidade do Peixe. No primeiro tempo, o árbitro Alício Pena Júnior “minou” o Tricolor assinalando faltas inexistentes próximas à área. Em um desses lances, Elano bateu para o gol e Flávio chegou atrasado na bola. Com a vantagem parcial, o Santos veio para o segundo tempo disposto a evitar os pênaltis e Basílio e Wiliam definiram a vitória tranqüila do time paulista.

COPA SUL-AMERICANA
FASE PRELIMINAR – JOGO DE VOLTA
SANTOS 3×0 PARANÁ CLUBE

SANTOS: Mauro; Flávio (Bóvio), Domingos (André Luís), Cristiano Ávalos e Márcio; Lelo, Elano, Luís Augusto e Marcinho; Deivid (Basílio) e William. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

PARANÁ: Flávio; Alex Silva (Etto), Fernando Lombardi, João Paulo e Edinho; Messias, Beto, Fernando (Marcel) e Cristian; Galvão e Maranhão (Sinval). Técnico: Paulo Campos.

SÚMULA
Local
: Vila Belmiro (Santos).
Árbitro: Alicio Pena Júnior (FIFA-MG).
Assistentes: Milton Otaviano dos Santos (FIFA-RN) e Marlei Leite da Silva (FIFA-MG).
Renda: R$ 32.040,00.
Público: 3.949.
Gols: Elano a 42′ do 1º tempo. Basílio a 14′ e William a 23′ do 2º tempo.
Cartões amarelos: Deivid, Lelo e Elano (Santos). Fernando Lombardi (Paraná).