Tricolor venceu o Haletchena por
1 a 0, gol de Maurílio.

Foi uma festa. A cidade de oitenta mil habitantes, conhecida como a ‘cidade vermelha’, praticamente parou na tarde de domingo para receber o futebol brasileiro. E eles não saíram decepcionados – o Paraná Clube venceu o Haletchena por 1 a 0, conquistando a primeira vitória brasileira na Ucrânia.

O adversário de ontem foi reforçado por jogadores da província de L’viv, tornando-se um adversário mais forte. Mas o interesse dos quase seis mil torcedores que compareceram ao estádio municipal de Tchernovohrad queriam ver era o time brasileiro. A entrada do Paraná foi estratégica – Hélcio e Neneca levaram uma bandeira da Ucrânia, fazendo a equipe ser freneticamente aplaudida.

E, desde os primeiros movimentos, o Paraná mostrou a que veio – e o que esperavam os ucranianos. Logo no primeiro minuto o zagueiro Hurha errou no desvio de um cruzamento de Adriano Chuva e quase marcou contra. O domínio era evidente, e a cada instante a equipe de Caio Júnior desperdiçava oportunidades.

A torcida nem se preocupava. Aplaudia os lances do Paraná, enquanto tentava empurrar o Haletchena ao ataque. O espaço era tanto que até os volantes podiam partir ao ataque, e foi assim que surgiu o gol que decidiu o jogo. Aos 28 minutos, Hélcio driblou dois adversários e sofreu falta. Maurílio cobrou com perfeição e abriu o placar. O restante do primeiro tempo seguiu na mesma batida – o Paraná chegava e não conseguia marcar.

A equipe que retornou para o segundo tempo mais ofensiva, com as entradas de Márcio (no lugar de Fabinho) e Emerson (no de César Romero) – além da troca de Neneca por Marcos.

Do outro lado, o Haletchena fazia uma série de mudanças, excedendo até mesmo os números de camisa – tanto que, no segundo tempo, as camisas 2, 6 e 7 foram ‘reutilizadas’. Caio Júnior preferia realizar uma profunda alteração tática, colocando Hélcio como líbero, Maurílio como armador e Alexandre e Luís Paulo como alas ofensivos.

A tática teve resultado. Ronaldo teve mais espaço para progredir, Maurílio dominou as ações no meio-campo e Márcio e Adriano forçaram o Haletchena a recuar ainda mais.

Assim, o Paraná mandou no jogo até o seu final, tendo ainda um pênalti não convertido em Adriano Chuva e um gol não confirmado, depois de uma cabeçada de Márcio.

“O resultado foi muito importante, até pela semana que tivemos”, resumiu o zagueiro André. A próxima partida do Paraná será quarta, às 19h (13h em Curitiba), contra a seleção olímpica da Ucrânia, em L’viv.

Caio preocupado com finalizações

Para quem acompanhou a partida, o resultado não diz o que foi o domínio do Paraná sobre o Haletchena. E esta é a primeira lição que o técnico Caio Júnior quer tirar do jogo de ontem, o primeiro da excursão tricolor pela Ucrânia. Segundo o treinador, nenhuma equipe pode se dar ao luxo de perder tantos gols.

Os erros aconteceram principalmente no primeiro tempo, quando os atacantes do Paraná chegaram várias vezes ao gol adversário. “O Adriano e o Alexandre estiveram muito bem na partida, mas erraram muito. A gente não pode falhar nesse tipo de jogada”, explicou Caio, que aprovou a estréia de Ronaldo. “Ele não sentiu a mudança de clube e fez o que eu esperava dele”.