Wellington Paulista sentiu
a ausência de Galvão e também
deixou a torcida na saudade.

Depois de bater o Peixe, o Urubu e a Raposa em casa, o Paraná caiu na pressão do “Ibama” e deixou a Macaca escapar na tarde de ontem, no Pinheirão. Apesar de ter jogado melhor, o Tricolor acabou derrotado por 1 a 0, contrariando a lógica. Coisas do futebol, mas o jogo marcou também a primeira derrota em casa.

O prenúncio do revés começou antes mesmo do apito do árbitro. Pouco antes do jogo, o atacante Galvão, artilheiro do time com quatro gols, foi vetado pelo departamento médico. No treinamento de sexta, ele machucou o tornozelo na trave e levou alguns pontos. Com dores no local, o DM optou por poupá-lo.

A ausência do matador foi determinante para o resultado negativo, uma vez que o que sobrou de volume de jogo, faltou, e muito, nas finalizações. Tanto é verdade que a primeira defesa de Lauro só aconteceu aos 41 minutos, em um chute de Wiliam. A dupla de ataque, formada por Adriano e Welington Paulista, chegava com assiduidade na área, com a boa armação de Fernando e Wiliam, que estava em ótima tarde. Mas no toque final, o trabalho acabava nas mãos dos gandulas, que tinham que buscar a bola atrás do gol. A pressão paranista já era previsível, uma vez que a Ponte já tinha deixado bem claro que viria a Curitiba para se defender.

Jogando com a máxima do futebol “quem não faz, leva”, o castigo do Tricolor veio no finalzinho do primeiro tempo. A defesa bobeou e André Cunha apareceu sozinho na área, chutando na saída de Flávio. Indignado com a falha, o goleiro deu uma bronca geral.

Se na primeira etapa o volume de jogo já era maior, na etapa final o jogo praticamente se concentrou na metade do gramado. Era um jogo de um time que só se defendia, contra um que tentava a todo custo marcar gols, para manter a invencibilidade em jogos em casa. Ousado, o técnico Paulo Campos liberou os laterais para subirem constantemente – Edinho se destacou com belas assistências – e deixou o time com três atacantes: Adriano, Welington Paulista e Chokito.

Na análise dos números do jogo, o Paraná arrasou o adversário. Só de escanteios, foram 14 contra 1. Entretanto, como a lógica passou longe do Pinheirão, a torcida paranista deixou o estádio com dor-de-cabeça.

CAMPEONATO BRASILEIRO
7ª Rodada
Local: Pinheirão
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS).
Assistentes: Sérgio Buttes (RS) e Vili Tissot (RS).
Gol: André Cunha aos 45 minutos do 1º tempo.
Cartões amarelos: Alan, Nelinho, Gustavo, Anselmo, Chokito, Wesley, Alexandre

Paraná 0 X 1 Ponte Preta

Paraná
Flávio; Cláudio, Nelinho, Carlinhos e Edinho; Beto, Nílson (Chokito), Wiliam (Marcel) e Fernando (Wesley); Welington Paulista e Adriano. Técnico: Paulo Campos.

Ponte Preta
Lauro; André Cunha, Gustavo, Alexandre e Alan; Romeu, Flávio, Rafael Santos e Vander; Weldon (Flávio Guilherme) e Anselmo (Rafael Rodrigues). Técnico: Estevan Soares.