Goiano atuará improvisado como ala-
direita esta tarde, no Couto Pereira.

O “tropeço” no clássico não trouxe maiores danos ao Paraná Clube. Com a combinação de resultados, o clube se segurou na oitava colocação e faz hoje – às 16h, no Couto Pereira – um jogo-chave para a aproximação aos primeiros colocados. Uma vitória sobre o Santos reduzirá significativamente a distância entre os times, que hoje é de dez pontos. O atual campeão brasileiro mantém a vice-liderança da competição, três pontos atrás do Cruzeiro.

“Temos objetivos bem definidos. Por isso, um bom resultado hoje é fundamental”, disse o técnico Saulo de Freitas, acreditando que a má jornada contra o Atlético não se repetirá. O treinador, que já não contaria com Ageu e Pierre, suspensos, ganhou novos problemas na manhã de ontem. O lateral-direito Valentim não se recuperou da lesão na panturrilha esquerda e seu reserva, Milton, com dores musculares, foi vetado pelo departamento médico. Para completar, Fabinho voltou a sentir uma lombalgia e dependerá de uma avaliação hoje pela manhã.

A rigor, o Paraná chega para este difícil compromisso com apenas um titular em seu setor defensivo. Cristiano Ávalos – o jogador mais regular do time, com 23 participações até aqui – retorna após cumprir suspensão e formará a zaga ao lado de Fernando Lombardi. Nas laterais, a saída foi improvisar. O volante Goiano foi posicionado na ala-direita, aumentando o poder de marcação pelo lado do campo, onde o Santos tem jogada forte no apoio de Léo. Na esquerda, Rodrigo Silva treinou e espera a avaliação de Fabinho para saber se começa o jogo ou se ficará no banco de reservas.

O meio-de-campo também sofre mudança, com Émerson entrando na vaga de Pierre. Teoricamente, o time ganha volume ofensivo com sua entrada, mas a missão de Émerson será diminuir os espaços para Diego e Elano. Os jogadores e Saulo de Freitas preferiram não polemizar as declarações de Leão e Diego. Pela avaliação dos santistas, o Paraná possui um time “violento”, que comete muitas faltas. “A falta faz parte do jogo e aqui ninguém dá porrada. Jogamos na bola e por isso somos um dos times com o menor índice de cartões amarelos e vermelhos no Brasileiro”, lembrou o treinador.

No único treino tático antes do jogo, Saulo deu ênfase ao posicionamento da equipe e à qualidade do passe. Para o treinador, dois aspectos foram decisivos para o fraco desempenho na primeira rodada do returno. “Erramos muito na saída de bola e isso trouxe o adversário para o nosso campo. Além disso, metade do time não jogou o que sabe”. Saulo acredita que a oscilação é “normal” em uma competição tão longa e os jogadores concordam. “É impossível manter o mesmo ritmo em mais de quarenta jogos. O time voltará aos trilhos neste sábado”, afirmou o meia Marquinhos.

Renaldo e Marquinhos são os principais artilheiros do Paraná (com dez gols cada), que trava um duelo à parte com o Santos. Enquanto o time paulista fez 46 gols, o Tricolor marcou 45. Os times estão atrás apenas do Cruzeiro, que já balançou as redes 53 vezes. O time de Émerson Leão, porém, leva ampla vantagem na defesa, com apenas 28 gols sofridos e a segunda menos vazada (perde só para o São Caetano, com 21). O Paraná já levou 38 gols em 24 jogos.

Tem ingresso para todos

O jogo desta tarde pode representar um crescimento significativo na média de público do Paraná Clube neste Brasileirão. Após sofrer déficit em seguidos jogos disputados no Pinheirão e contra adversários de pequeno porte (sem contar o momento de instabilidade técnica), o Tricolor já levou um bom público ao Joaquim Américo no confronto com o Corinthians – 16.037 pagantes, o melhor até aqui do Paraná neste Brasileiro. Agora, o clube utiliza o Alto da Glória, onde não conseguiu bom retorno financeiro em jogo do primeiro turno, quando recebeu o Grêmio.

Foram colocados à venda 25 mil ingressos (6 mil destinados à torcida santista) e a procura foi boa nos últimos dias. Os preços foram mantidos, mas agora com o meio-ingresso válido também para as cadeiras. A tabela é a seguinte: arquibancada, R$ 15,00; sócios, menores e estudantes, R$ 7,50; cadeiras, R$ 30,00; sócios, menores e estudantes, R$ 15,00; Pai-e-Filho, R$ 15,00.

Proprietários de Pass Cards, sócios torcedores e mulheres e menores credenciados devem utilizar o portão principal do Couto Pereira, na Rua Amâncio Moro. O acesso às aquibancadas ocorrerá também pelo portão principal e pela Rua Mauá. As entradas da Rua Ubaldino do Amaral serão exclusivas para as cadeiras superiores e inferiores (setor Pai-e-Filhos). Os torcedores do Santos utilizarão apenas o portão da curva de fundos, na Rua Floriano Essenfelder. Idosos têm acesso livre, mas devem utilizar o portão da Amâncio Moro.