O departamento jurídico do Paraná Clube vai tentar um efeito suspensivo para poder contar com o técnico Paulo Comelli já no jogo deste sábado. Suspenso por 45 dias por ofensas morais ao árbitro Pablo dos Santos Alves (RJ), no jogo diante do América-RN, o treinador já desfalcou o time contra o Brasiliense.

Teve que observar a partida de longe, sem o contato direto com os atletas. “Há um prejuízo, sem dúvida. Mas, o jeito é esperar o que o tribunal decide”, disse Comelli.

O advogado Itamar Côrtes já havia ingressado com um recurso para que o pleno do STJD analisasse o caso, já que outros treinadores em situações parecidas foram absolvidos. Porém, como o STJD só se reúne a cada quinze dias, o processo não foi incluído na pauta desta semana.

Um quadro que fez o jurídico do clube buscar uma outra solução. O efeito suspensivo, se concedido pela presidência do STJD, permitiria que Comelli trabalhasse normalmente até que o recurso fosse apreciado pelo pleno.

Como o caso só deve ser julgado no dia 6 de novembro, o treinador estaria livre para ficar na área técnica (e no vestiário) ao menos nos duelos ante Barueri e Corinthians. O outro jogo contra o São Caetano a princípio está marcado para o dia 8 de novembro.

Esta data, porém, pode ser alterada, já que a CBF ainda não oficializou o desdobramento das cinco últimas rodadas da competição. Itamar Côrtes ingressa amanhã com o pedido de efeito suspensivo, esperando uma resposta do STJD até sexta-feira, véspera do jogo na Arena Barueri.